/*Modifica icone na barra de enderecos */ /*Modifica icone na barra de enderecos */
Home »

Nasa descobre planeta com 2 sóis: Seria Tatooine ?

O telescópio espacial Kepler, da Nasa, descobre um planeta que orbita em torno de dois sóis. O planeta e os dois sóis estão há 220 anos-luz do nosso Sol na constelação do Cisne.
Ambas as estrelas são menores que o nosso sol, uma tem 20% da massa e tamanho e a outra 69%.
Já o planeta tem massa 105 vezes maior que a Terra e é do tamanho aproximado de Saturno. O planeta batizado de Kepler-16, ao contrário de Tatooine, é inóspito e impróprio para a vida humana – frio e gasoso.
E´ a primeira descoberta de um planeta com 2 sóis, atestando, pelo menos em parte, que a obra de ficção de Star Wars não é tão ficção assim…

O que mais está reservado no futuro e vamos descobrir que não se trata só de ficção ?

Mês de Setembro rola sorteio no twitter da @get_nuts

Neste mês de Setembro a Get NUTS vai sortear o Mighty Muggs aí da foto!
Confira as regras no link http://bit.ly/oDk1f2

Ajude a divulgar e Boa Sorte :D

De Dexter e Morgan todos nós temos um pouco! by @Senhor_P

Quando o pessoal do GetNUTS perguntou no Twitter, se tinha algum fã do Dexter que topasse escrever um artigo sobre a série, fiquei tentado, mas eu não sou escritor, jornalista, critico de TV, sou apenas um cara!
Tá bom, tá bom, eu sou com cara alucinado por séries de TV, Nerdão assumido, Nerd gatão (cof…cof), mas mesmo assim Nerd de carteirinha, então vou compartilhar com vocês um pouco da minha experiência e percepções pessoais com a série Dexter, como fã e um cara normal.

Mas vamos ao que interessa, o que falar sobre Dexter Morgan? Vamos começar pela definição básica da pessoa de Dexter, ele é um Psicopata.
“Psicopata, a rigor designa um indivíduo, clinicamente perverso que tem personalidade psicopática. A psicopatia é um distúrbio mental grave caracterizado por um desvio de caráter, ausência de sentimentos genuínos, frieza, insensibilidade aos sentimentos alheios, manipulação, egocentrismo, falta de remorso e culpa para atos cruéis e inflexibilidade com castigos e punições.” (Leia mais aqui)

Na verdade o Dexter é um personagem tão tridimensional que é até um pecado limitar ele apenas ao aspecto da sua doença mental, é meus caros ele é um doente mental, mas é também uma pessoa complexa, pelo menos o seu disfarce social é muito bom, e ao longo das temporadas ele vai adicionando mais elementos, que o tornam cada vez mais normal aos olhos das pessoas que o cercam.
Para entender o Dexter Morgan temos que conhecer o seu ambiente e as pessoas que cercam, e que muitas vezes são reflexos da própria personalidade humana que ele tanto busca, e que são tão ferradas quando ele, de uma forma que envolve o espectador, pois os dramas, trejeitos, atitudes e personalidades são tão familiares a todos nós.

O ambiente

A séria se passa em Miami Beach, o que por si só já é muito legal. Quem é da velha guarda como eu, vai se lembrar de Miami Vice, que era uma série muito famosa nos anos 80 e 90 aqui no Brasil.
A séria aproveita Miami Beach de forma espetacular, mostrando toda beleza do litoral, mas também abusa de locações suburbanas, com suas ruas ladeadas por palmeiras, mostra também à noite e sordidez da cidade com suas prostitutas, gangues, viciados, violência, e todo o submundo policial, isso me faz lembrar que a série pode ser considerada uma série policial também.

A família (adotiva) de Dexter era composta pelo oficial da policia Harry Morgan, sua falecida esposa Doris Morgan e pela irmã Debra Morgan, que é filha biológica do casal e colega de Dexter no Departamento de Polícia de Miami Beach.

A nova família de Dexter é composta por ele mesmo, Rita (Bennett) Morgan, Aston Bennet, Cody Bennett e depois do pequeno Harrison Morgan, filho biológico do Dexter e da Rita.
Os colegas de trabalho são: Angel Baptista, Maria LaGuerta, James Doakes, Joseph “Joey” Quinn, e Vince Masuka.

Os personagens:

Dexter Morgan é o protagonista da série. Ele é uma pessoa que tem de carregar um peso, que seria muito grande para qualquer ser humano normal, entretanto ele não é normal, ele é um psicopata, que como todo bom representante da sua classe, tem os seus rituais. Sua vítimas são escolhidas entre pessoas que cometem crimes mas não podem ser “alcançadas” pela justiça dos homens. Seguindo “O Código” que lhe foi doutrinado pelo seu pai adotivo Harry Morgan, ele somente mata aqueles que realmente fizeram por merecer.


Harry Morgan é o pai adotivo do Dexter e ex-policial em Miami Beach. Ele e sua mulher Doris adotam o pequeno Dexter quando o garoto presencia a morte brutal da sua mãe biológica (Laura Moser). Harry notou o desaparecimento de animais da vizinhança e descobre logo que o responsável é o seu filho adotivo. A partir de então sua vida é dedicada a doutrinar as atitudes do protagonista para que ele guie seus atos através de um código de conduta, e aprenda como escolher e executar suas vítimas de maneira a não deixar rastros.

Debra Morgan é a irmã do Dexter, filha biológica de Harry e Doris Morgan. Sua ambição é seguir os passos do pai no departamento de polícia de Miami Beach. Ela é péssima para escolher namorados. Ela acha o irmão a cara mais normal do mundo, apesar de achar ele meio nerd, e tem o seu pai como exemplo de vida e como ídolo profissional. No entanto, Debra vai descobrindo ao longo da série que nem tudo é o que parece…

Angel Baptista é detetive da divisão de homicídios eestá sempre envolvido com o Dexter, que trabalha como analista de marcas de sangue para o depto de polícia. Angel tem problemas familiares, se envolve com várias mulheres durante a série, mas leva o seu trabalho muito a sério. Considera o Dexter como seu amigo e está sempre tentando ajudar a Debra a conseguir a sua promoção para Investigadora.

Maria LaGuerta está no comando da divisão de homicídios. É de ascendência Cubana, altamente motivada pela sua ambição política enão mede esforços para alcançar os seus objetivos. Se envolve com vários homens durante a série, na sua maioria visando algum retorno profissional. Mas ela logo começa a se envolver com os outros personagens e tem uma mudança gradual durante a série. Confia plenamente na opinião do Dexter e vive lhe pedindo conselhos, o que o deixa maluco, visto que ele quer chamar o mínimo de atenção.

Sargento James Doakes é detetive da divisão de homicídios. Dexter o considera um predador, e como tal, ele sente que há outro predador por perto, e fica procurando alguma coisa que possa desabonar a imagem de bom moço do Dexter. Doakes é uma pessoa de atitudes violentas, pavio curto, ele trata mal os Nerds Dexter e Masuka, a obsessão de Doakes pelo Dexter chega a ser doentia, se ele ao menos soubesse que tinha razão.

Joseph “Joey” Quinn é detetive da divisão de homicídios. Ele entra depois na série e acaba como parceiro da Debra Morgan. É uma pessoa polêmica. Suspeito de ser policial corrupto, ele fica bem nervoso quando as coisas não saem da maneira que ele espera. Ele demonstra realmente se importar com a Debra Morgan e está sempre tentando evitar que ela se complique por conta de um dos namorados dela que é seu informante.

Vince Masuka é o chefe da equipe forense da divisão de homicídios e trabalha diretamente com o Dexter. É o alivio cômico da série. Masuka é o típico colega de trabalho inconveniente, ele não sabe a hora de ficar calado, e sempre aparece as horas mais impróprias com piadas sexistas e de extremo mau gosto. Além de tudo Vince tem um ego gigantesco e se acha o maior profissional da sua área. Normalmente é motivo de chacota ou é ignorado pelo restante do departamento. Deixa o Dexter maluco com a sua bisbilhotice.

Rita (Bennett) Morgan é uma mulher que sofreu abusos do ex-marido Paul Bennett, é mãe de Aston e Cody Bennett, e depois do Harrison Morgan. Quando o Dexter está procurando aperfeiçoar seu disfarce social, ele resolve que precisa de uma namorada, a Rita é a escolha ideal, pois ela no início não consegue se relacionar sexualmente, o que para o Dexter é ótimo, pois ele não tem interesse no assunto. Com o passar do tempo, Dexter cria uma necessidade de proteger ela e a família, o que acaba por levá-los a se casarem.

Apresentações feitas, continuaremos conversando um pouco mais sobre a série. A estréia ocorreu no dia 1 de outubro de 2006 pelo canal Showtime na terra do Tio Sam. A série ganhou vários prêmios e blá, blá, blá…
O que interessa mesmo é que você vai encontrar personagens cativantes, situações inusitadas, e muito drama – os personagens têm uma tendência incrível a se meterem em problemas.
O Dexter ao final de cada temporada é colocado na posição de ter o seu segredo descoberto, você fica aflito, ele fica imaginando o que as pessoas com quem ele se importa vão dizer, e geralmente a conclusão no início da temporada seguinte é de explodir cabeças.
Cada vítima tem sua história desenvolvida, analisada de forma a nos colocar a par dos seus crimes e simpatizar com a sua “condenação”, ficamos torcendo para que o dia da “execução” chegue logo e que ela finalmente vá fazer parte da coleção de sangue do nosso psicopata preferido.

Em minha opinião a séria tem algumas referências veladas a outras obras, como por exemplo o fato do Dexter em momentos de dificuldade ou de reflexão receber conselhos, e até conversar com o seu falecido pai. Harry aparece na forma de Obi-wan Kenobi, e sempre repassa para o nosso protagonista o que ele deve fazer, dizer ou até como evitar ser descoberto. Se você for pensar bem o Dexter e o Luke sofrem de esquizofrenia, pois ambos falam com dois caras mortos que não dizem nada que eles já não saibam.
(pausa para apanhar dos nerds).

Outra figura que gosto de comparar com o Dexter é o Batman, veja bem:

- Ambos viram os pais serem mortos;
- Ambos caçam criminosos;
- Ambos têm de manter uma vida dupla;
- Ambos foram treinados para focar a sua “fome” em indivíduos que “merecem”;

As semelhanças acabam aqui, o Batman se contenta geralmente em prender ou dar uma surra nos meliantes, já Dexter prefere, tirar uma amostra de sangue, esquartejar e jogar os restos na baía. Eu aposto que se ele tivesse aquela grana toda do Bruce, ele também usaria uma roupa maneira com direito quem sabe a cueca de fora.

Uma coisa legal no Dexter é que ele sabe o que ele é, ele não liga, ele não deveria sentir nada por ninguém, além do desejo de caçar e matar que o seu “Passageiro Sombrio” o faz sentir de tempos em tempos. Porém o Dexter não está finalizado, ele está sempre procurando melhorar o seu disfarce, isso acaba nos levando a Rita Bennett.

A Rita é um personagem bem legal, é fácil se identificar com ela, ela sofria abusos do ex-marido Paul Bennett, tem que criar os filhos sozinha, a mãe a acusa de ser uma fracassada que se envolve apenas com homens errados, ela não consegue ter uma relação normal, não consegue fazer sexo devido ao trauma causado pelo Paul.
Qual o pensamento babaca do Dexter?
“Oba, vou arrumar uma namorada pra satisfazer a curiosidade das pessoas, e não vou ter que “fingir” uma relação sexual com ela.”
O problema é que aconselhada pela mãe a moça resolve, digamos assim, se soltar. Protagonizando uma cena antológica, vestida de Lara Croft loirinha, ela se oferece para fazer sexo oral com o Dexter, depois disso ficou conhecida na Internet como Lara Croft “boqueteira” .

Com o passar do tempo o Dexter vai descobrindo partes suprimidas do seu passado, e ao mesmo tempo vai descobrindo sentimentos que pensava não ser capaz de sentir. Ele acaba percebendo o quão importante a sua irmã é para a sua vida, ele cria um laço com os filhos da Rita, que são vitimas por presenciar os abusos do pai contra a mãe.
Ele vê nas crianças a inocência que ele já teve e que lhe foi tirada com tanta violência, ele se coloca então na posição de protetor, e o relacionamento dele com a Rita passa de mera conveniência para uma coisa real, não um sentimento real, mas uma distorção do amor criada pela mente doentia de um psicopata.

Ao logo das temporadas vimos que todos os personagens têm sub-tramas muito interessantes, todos ele são bem tridimensionais, com motivações bem trabalhadas, e é fácil se identificar com os mesmos.
Os vilões das temporadas também são fantásticos, pois geralmente ficamos com o sentimento dúbio de torcer hora pelo Dexter, hora sentir pena ou identificação com o antagonista da temporada, na minha opinião o melhor é o da quarta temporada.

Devo confessar para vocês que devida a um acontecimento ao final da quarta temporada, eu parei de assistir a série, não que tenha ficado ruim, mas é que eu criei um laço tão grande com os personagens que depois do que houve, ainda não tive coragem que ver o que acontece depois, estou aqui agora tomando coragem para ver o que vem a seguir na quinta temporada.

Já foi confirmada uma sexta temporada que chega agora dia 12 de outubro de 2011, uma sétima temporada pode acontecer, fiquem ligados.

Quero agradecer a quem teve paciência para agüentar estas mal traçadas linhas até aqui, acrescento que os poucos spoilers aqui presentes não vão estragar de forma alguma a sua experiência.
Estão esperando o que? Corram e comprem as temporadas que eu garanto que será diversão garantida! :D

Abraços, @Senhor_P

Site “Ask Vader” : Pergunte`a Darth Vader tudo o que vc quiser!

Em comemoração ao lançamento da saga Star Wars em Blu-ray a Fox lança o site “Ask Vader”.

Tem alguma decisão difícil para tomar? Precisa da opnião de um Sith?

Darth Vader irá ouvir (im) pacientemente suas perguntas (você deverá digitá-las em um campo texto em inglês) e vai te responder da maneira que você merece!
Bem aí, vc sabe né, o humor dele não é dos melhores :(

O site ainda oferece outras surpresas: `a medida que você interage com Darth Vader vai desbloqueando ” Momentos Especiais com Vader” – que revelam memórias de momentos especiais de Vader sobre a saga.

O que vc está esperando ? “Ask Vader Star Wars”

Outro lançamento da FOX é o catálogo digital “Star Wars Moments Visualizer” onde vc poderá visualizar 300 momentos de todos os filmes da saga. Lá você visualiza um descrição da cena, o episódio e o ranking. Você também poderá votar no seu momento preferido! http://moments.starwars.com/visualizer

Gamescom 2011: Conheça os melhores games do ano!

A maior feira de Games Interativos e Entretenimento da Europa rolou em Colônia na Alemanha de 17 a 21 de agosto e elegeu este ano os melhores games em 8 categorias: Melhor Game de PC, Melhor Game de Console, Melhor Game Plataforma Mobile,
Melhor Game Online, Melhor Game baseado em Browser, Melhor Game Diversão em Família, Melhor Hardware/Acessórios e Melhor da Gamescom.
A Empresa campeã levou 4 premiações entre as 8 categorias foi a Eletronic Arts.

Conheça os vencedores:

Game Categoria Empresa
Battefield 3 Melhor da Gamescom Eletronic Arts
* * *
PlayStation Vita Melhor Hardware e Acessórios Sony Computer Entetainment
* * *
FIFA 12 Melhor Game de Console Eletronic Arts
* * *
Uncharted: Golden Abyss Melhor Game Plataforma Mobile Sony Computer Entertainment
* * *
Star Wars: The Old Republic Melhor Jogo OnLine Eletronic Arts
* * *
Diablo III Melhor Game de PC Blizzard Entertainment
* * *
The Sims Social Melhor Game baseado em Browser Eletronic Arts
* * *
Sesame Street: Once Upon a Monster Melhor Jogo Família Warner Bros. Interactive Entertainment

Robótica: Cabeça de robô lê músicas e reconhece pessoas

Desenvolvido pela Universidade de Ciências e Tecnologia de Taiwan, o robô da foto é capaz de ler uma música em 40 segundos e cantá-la.

Os olhos do robô são equipados com câmeras que fotografam a música e enviam para um computador que é capaz de interpretar o ritmo, a letra e a entonação. A partir daí, o computador comanda a voz, a abertura de boca e expressões da cabeça de robô.

Quem sabe um dia vamos ver um show na Broadway com um grupo de robôs-humanóides!

Além da aplicação na área de entretenimento, o time do projeto está trabalhando para ensinar o robô a reconhecer pessoas e interagir com humanos. Desta forma estes robôs poderiam se tornar recpecionistas em restaurantes e outros locais.

Bem, mas para isso precisam melhorar a “cara” desse robô, pois com essa cara vai espantar os fregueses… hahahah :D

Jedi Girl

Séries de TV: “The Big Bang Theory” by @ma_fantini

“The Big Bang Theory”, para os íntimos TBBT, é uma comédia criada por Chuck Lorre, que tem grandes séries em seu currículo. A série trata do mundo nerd, com todos os seus clichês colocados de forma extremamente divertida. É uma das mais fartas em referências de cultura pop que já tive o prazer de ver, mas você deve prestar atenção em cada cena, pois só assim perceberá outras centenas de referências enquanto assiste aos episódios que podem estar tanto no diálogo quanto em objetos de cena.

A série conta a rotina de dois físicos teóricos Leonard Hofstadter e Sheldon Cooper, que dividem o apartamento, repleto de artefatos nerds capazes de fazer muito marmanjo babar de inveja, e têm a semana dividida em atividades especificas e sistemáticas.
Seu limitado círculo social compreende seus dois únicos amigos: Rajesh Koothrappali, ou Raj, que só consegue falar com mulheres regado a álcool, e Howard Wolowitz, um judeu com uma autoconfiança que alcança o espaço. Raj tem uma amizade singular com Howard, disparado seu melhor amigo, que leva seus pais a acharem que têm um caso – confesso que às vezes eu também acho que rola um clima. Com relação a Howard, minha maior curiosidade refere-se `a sua mãe, tão berrante quanto suas calças, mas que nunca aparece. Como ela será? Eu já imaginei diversas versões, mas ainda não cheguei a uma definitiva. Na última temporada, percebi um crescimento no espaço destes personagens, o que acho excelente para a série.

Os quatro trabalham na Universidade de Pasadena e usam seu tempo livre em passatempos puramente nerds: jogando Halo, RPGs, lendo e comprando gibis, jogando Scrabble em Klingon, assistindo maratonas de ficção cientifica, e em discussões que vão dos nomes de personagens de Stan Lee (realmente interessante que a maioria tenha nome e sobrenome iniciado com a mesma letra) à física quântica.

Dotados da genialidade fundamental para sua carreira científica, não possuem a “manha” para se relacionar com o sexo oposto, e no caso de Sheldon com qualquer exemplar da espécie humana. Quando Penny, uma bela loirinha que trabalha como garçonete enquanto espera a carreira de atriz deslanchar, muda-se para o apartamento em frente e desperta a paixão de Leonard, a rotina destes amigos é radicalmente alterada.

Ela desconhece totalmente os ícones do mundo nerd, não sabe nem quem é Stan Lee, o que dificulta bastante a interação entre eles. Fazendo contraponto a este seu desconhecimento, temos os meninos totalmente alheios ao que acontece nas “baladas” do mundo moderno, ignorantes das regras esportivas e sociais da vida de um jovem comum da sociedade americana.
O choque destas duas realidades é que torna a série hilária. Desconhecendo o universo uns dos outros, fatalmente acontecem situações constrangedoras e, pelo menos para nós, divertidíssimas.

Leonard é o oposto de todos os namorados que Penny já teve: altos, musculosos e lindos. Como ele poderia ter alguma chance? Isto com o agravante de ela não entender como um homem coleciona gibis, compra bonecos, curte jogos e faz citações de fórmulas e pensadores que estão totalmente fora de sua esfera de conhecimento.

Basicamente é disto que trata a série, deste processo de conquista e adaptação.
O relacionamento de Sheldon com Penny é uma das melhores coisas da série. Não há nada de romântico nele, nem tensão sexual entre os dois, porém há o choque cultural. É interessante como os dois vão se tornando mais tolerantes um com o outro, de forma lenta e gradual.
Além de todos estes ingredientes, temos as citações de brinde. Lembram que eu disse para prestarem atenção? Então, cenas esquecidas de filmes como Guerra Nas Estrelas ou Jornada, podem ser citadas no meio de uma discussão de física quântica com a maior naturalidade. Frases dos clássicos heróis de gibis, como Batman ou Superman, são verdades absolutas.

Estes cinco personagens, tão diferentes e tão iguais, tornam o seriado tão interessante de assistir. A interação entre eles, às vezes tão complicada, é o que faz dar boas gargalhadas.
Todos tiveram mudanças claras desde a primeira temporada, acho que assim como nós que os assistimos. Alguns personagens amadureceram, outros se tornaram mais herméticos, outras relações surgiram, assim como novos personagens: Bernadette, Amy e Prya, sendo que esta última não tem minha simpatia. A última temporada, em minha opinião, não mostrou a mesma qualidade que as anteriores, porém tenho certeza que isto será corrigido na próxima.

Para quem não assistiu ainda a série, fica a #dica: vale muito à pena. E para quem, assim como eu, é fã da série, que setembro venha rápido.
Divirtam-se! :P

@ma_fantini

“Live Long and Prosper” by @my_pandoras_box

Spock é um dos personagens da famosa série de TV Star Trek. Ele também aparece na série animada, em dois episódios de Star Trek: The Next Generation, nos sete filmes da franquia e em inúmeros livros, quadrinhos e video games. O Star Trek, de 2009, o personagem passou a ser interpretado pelo ator Zachary Quinto (que fez papéis menores em séries como CSI, Charmed, Six Feet Under e 24 horas.

`A bordo da nave estelar USS Enterprise, Spock começou como oficial de ciências e primeiro oficial, tornando-se mais tarde um oficial comandante. A ascendência mista vulcana/humana de Spock – sendo também o primeiro vulcano a servir na Frota Estelar – serve como importante elemento de enredo em várias aparições do personagem.

Curiosidade:

o personagem (e a série toda) foram concebidos por Gene Roddenberry em 1964. Aliás, o episódio piloto da série foi inicialmente rejeitado com o pretexto de ser “too cerebral” (que significa mais ou menos algo como “difícil de entender”), no entanto, depois da série ir para o ar, cativou um número significativo de telespectadores que fielmente seguiram os outros episódios.
Voltando ao personagem: Roddenberry queria um nome que soasse alienígena quando ele criou “Spock”, porém não sabia da existência do psicologista Benjamin Spock! No episódio rejeitado, citado acima com nome de “The Cage”, Spock aparece com uma pele amarelo esverdeado e é do planeta Vulcano. Depois do ator DeForest Kelley (sim, o Dr. McCoy) ter mostrado desinteresse no papel, Roddenberry contratou Leonard Nimoy. O ator era conhecido pelo diretor pela sua aparição como convidado no piloto de sua série The Lieutenant e, depois de ter visto o rosto fino de Nimoy, nenhum outro ator foi considerado para o papel. Se Nimoy tivesse recusado o papel, Roddenberry iria oferecê-lo a Martin Landau. [ Mas, cá entre nós... o Leonard Nimoy nasceu para esse papel né?! Adoro rostos exóticos! ]

Sobre o ator:

Leonard Simon Nimoy atualmente está com 80 anos! Sim, nosso querido ator e eterno Spock já é um senhor, mas não quer dizer que ele está jogando xadrez na praça com seus amigos ou isolado em casa, triste… ele trabalha até hoje! :D
Em Star Trek, Spock personificava o raciocínio lógico próprio do seu lado vulcano dominante, sem manifestar emoções. Mas em um dos episódios (This Side of Paradise), Spock tem um rápido namoro quando seu lado humano é liberado. Anos depois Nimoy gravou uma canção chamada “Once I Smiled” (em tradução livre: Uma vez eu sorri), cujo tema era a namorada de seu personagem. Vocês podem ouvir a música aqui.

Curiosidades:

Nimoy é vegetariano, tem três filhos e é casado com a atriz Susan Bay. Atualmente está aposentado da carreira no cinema, se dedicando a fotografia.
Um de seus trabalhos menos conhecidos é a narração do jogo Civilization IV, de 2005.
Esse ano ele dublou o filme Transformers: Dark of the Moon fazendo o autobot “Sentinel Prime”, mentor e antecessor de “Optimus Prime”. Em 1986, ele já havia dublado “Galvatron” em The Transformers: The Movie.

Abaixo, imagem da aparição dele no filme Star Trek (2009):

Claro, não poderia deixar de mostrar algumas coisas legais ligada à figura do nosso Vulcano!

Obviamente, o pessoal do The Big Bang Theory (TBBT) falaria alguma hora da série, né?! Vejam só o Sheldon imitando o sinal do Spock! Mais alguém aqui consegue fazer?! (Eu consigo! #feliz) – imagem de “Rock, paper, scissors, lizard, Spock..”

Um print de uma cena da série animada de Star Trek onde Spock aparece :



Dá para ver um trecho na promo da Nickelodeon, clicando aqui

E esse boneco lindo lançado na Comic Con desse ano, não dá vontade de ter?!

Tem bustos, canecas, camisetas do “Spock for President” (que dei uma para a minha mãe…), blusões com imagens dele, botons, pingentes, cadernos e por aí vai…até um fã clube! Acessem o link e desfrutem: S.P.O.C.K.

Spock é um personagem que não ficou apenas ali na série e depois caiu em esquecimento ou ostracismo, ele vive e viverá sempre na mídia e em nossos corações!

E, como ele mesmo dizia: VIDA LONGA E PRÓSPERA! ;)

Um forte abraço e divulguem o blog da Get Nuts! Ah, e comentem, não se acanhem! Isso faz a qualidade ficar ainda melhor, quando as pessoas dão um retorno do nosso trabalho :}

@my_pandoras_box

Veja o que rolou na Super-Con Recife 2011 by @davidfellipeluz

Nos dias 29, 30 e 31 de julho aconteceu no Recife a Super Convenção 2011, um evento que juntou os mais variados tipos de fãs de anime, comics, games e cultura pop em geral.

O evento contou com a participação de Yumi Matsuzawa e Daisy x Daisy, cantoras dos temas de Cavaleiros do Zodíaco e Fairy Tail.

Além de apresentações musicais tivemos também uma grande quantidade de cosplayers no evento, alguns foram surpreendentes, e dentre estes estava eu fazendo o cosplay do Darth Revan (SW KOTOR).

Nós contamos com uma grande turma de Star Wars, no evento, entre eles um Grievous feito por @THSpike que me guiou na confecção do meu cosplay.

Outros Cosplays legais:

Havia também uma área chamada VideoGame History, onde foi possível conhecer e jogar os consoles que fizeram e ainda fazem sucesso, desde o Atari ate o PS2, a sensação de jogar Enduro no atari ou Double Dragon no nintendinho foi muito boa XD

Outro momento que instigou os presentes foi a apresentação da Banda Sinfônica da Cidade do Recife apresentando trilhas sonoras famosas como a trilha de Star Wars e 007.

Abraços pessoal!
Ano que vem tem mais :D

@davidfellipeluz

A Guerra e a História dos Tronos by @EmanuelCR

Falar de um seriado – ou série de romances… – como Game of Thrones é uma tarefa muito complicada. Primeiro, o melhor seria saber tudo sobre tudo: assistir o seriado até o series finale, ler todos os livros e contos e, daí, escrever um artigo sobre… Como não rola – e já estou atrasado com isso… –, vou tornar isso um parecer mais pessoal. Além do mais, tendo lido os dois primeiros livros da série, não corro o risco, assim, de estragar a experiência de leitores e telespectadores.

Inicialmente, devo admitir que, como muitos nerds de longa data, ignorei a série. Muito antes da série da HBO ser anunciada, tive contato com o primeiro livro. Vi a ilustração da capa, o suposto nome do autor e o título do livro e… Bom, “dane-se esse chupinhador de Senhor dos Anéis”, pensei. E continuei minha vida normalmente, até que alguém, no Twitter ou coisa assim, divulgou o teaser da primeira temporada…

E fui fisgado! Não pela ambientação fantástica, mas, principalmente, pelo visual e a atmosfera de paranóia e conspiração que as “frases de efeito” de cada personagem proporcionavam. Outro coisa que me chamou, de imediato, a atenção foi a diversidade de motivações e de personagens… Ninguém ali, mesmo os aparentados, estava alinhado.

E, como muita gente nesse mundo de novos e antigos deuses, comecei a assistir a série religiosamente – perdão pelo trocadilho… E não tinha como não gostar daquilo tudo! Ora, um mundo onde uma estação climática era uma das coisas mais temidas por todos só podia ser muito legal, afinal! E como, sabiamente, muitos notaram, é aquilo de obra que converge tudo que um nerd gosta – e já explico melhor! Afinal, como obra literária, as Crônicas de Gelo e Fogo são densas, repletas de tons e com ramificações que deixariam Tolkien surpreendido, certamente! Por isso, em alguns poucos tópicos, tentarei estabelecer coisas impactantes.

Mas sem spoilers, calma! :D

Diversidade

Provavelmente, a primeira coisa que fica bem clara, esteticamente, em Game of Thrones é que, como em nossa realidade, tem gente de todo cor, tem raça de toda fé. Por exemplo, mesmo sendo todos caucasianos, a diferença entre um Stark e um Lannister é evidente – e muito verossímil, portanto. O povo do Norte é descendentes dos Primeiros Homens, segundo o próprio folclore de Westeros e, assim, são gente forte e convicta, bem ao exemplo de Lorde Eddard. Os leões dourados, por sua vez, descendem, supostamente, de um ladrão ambicioso ávido por ouro – Larfleeze, alguém? – e que deixou essa “herança” à toda família. E o que dizer dos Targaryen? Originalmente, além dos cabelos prateados, muitos têm olhos violetas. Vindos da antiga Valíria, poderíamos criar um paralelo com os mitos da Atlântida, Mu e Lemúria, talvez.

Por fim, que prova maior da diversidade do que os dothraki? Além de representarem, praticamente, uma versão dos hunos, possuem, por falta de expressão melhor, uma interracialidade presente em poucos povos da obra. Afinal, são um povo nômade e escravocrata, propiciando essa miscigenação… E para evitar problemas, não citarei os cranogmanos e nem Asshai.

Religião

Talvez ainda mais similar à realidade, mas bem comum em obras de fantasia, é a questão religiosa. No Norte, os antigos deuses possuem a maioria dos fiéis, o que não impede, porém, que Catelyn Tully louve aos novos deuses, os Sete. Com uma estrutura que quase lembra o catolicismo, os Sete – sete facetas da mesma entidade, na verdade – são comuns entre os povos do Sul e, também, no reino dos Rios. É uma religião cheia de signos, diferente da antiga, onde as divindades são naturais e, de certa forma, representadas em conjunto somente pelos rostos nas árvores-coração.

Os dothraki, também, possuem sua fé; louvam a Mãe da Montanha, pois todos os homens estão sob sua sombra… Aliás, os rituais que Dany supera, o dosh khaleen e a questão do Garanhão que Montará o Mundo estão, nesse conceito, imbuídos. A grosso modo, Drogo e os dothraki acreditam na dominação do mais forte, aspecto fortemente representado em Vaes Dothrak: lá, inúmeros ídolos divinos dos povos que os khalasar destruíram estão expostos como troféus.

Contudo, não termina por aí: nas ilhas de Ferro, de onde Theon Greyjoy se origina, há um deus muito lovecraftiano… E ele nem é o pior, mas não posso falar sobre isso, ainda. ;)

História e Política

Esses aspectos não ficam tão evidentes para quem, enfim, não leu os livros. Mesmo que abordados mais sutilmente no seriado, é inegável que, mesmo antes da primeira linha do livro – ou do roteiro –, sabe-se que tudo ali é repercussão de um processo histórico. A formação de um continente como Westeros é, muitas vezes, mencionada em conversas informais. Tyrion Lannister – personagem preferido de 9 entre 10 fãs – é, entre outros, um profundo conhecedor desta História e, também, de falácias históricas, citando-as para favorecê-lo ou desacreditar seus rivais em discussões – na real, o Duende é um nerd medieval.

Curiosamente, o desajeitado Sam Tarly é uma espécie de historiador iniciante: extremamente curioso quanto às origens da Patrulha da Noite, dá uma bela descrição, em poucas frases, daquilo que conhecemos como historiografia. E, num mundo de maravilhas, como culpá-lo? Como não querer conhecer a verdade por trás de tantas facetas? Na verdade, é pelo mesmo motivo que os fatos se misturam com as fábulas, o que a Velha Ama dos Stark representa conceitualmente (Só porque não posso deixar passar quieto: em dado momento do livro, Ned Stark comentou com um de seus filhos que, quando ele era menino, a Velha Ama já era velha.).

E, talvez, a Patrulha da Noite seja o melhor ponto de partida para compreender como a política influi nesse mundo. Pessoalmente, meu item preferido desta obra, a Patrulha é conhecida por “não se envolver”. Está lá desde que os Reis do Norte dobraram joelho aos dragões Targaryen, e não se envolve com as intrigas dos Lannister, de Mindinho e de Varys, a Aranha, com as inúmeras guerras… Afinal, aqui, política se tornou um meio de alcançar, tão somente, objetivos mesquinhos. Casamentos são forjados e alianças desfeitas para que, simplesmente, atenda-se uma agenda de interesses. O casamento de Dany foi isso – e, no livro, ocorre quando a mesma tem apenas 14 anos – de Cersei e Robert também, assim como a traição de Mindinho e as mortes de Jon Arryn e Eddard Stark – vai além do incesto! Entretanto, como surgimento de vários “reis” e conflitos que beiram, em alguns pontos, a obscuridade, política torna-se uma espécie de “arte da guerra”…

O fantástico e o desconhecido

Provavelmente, foi isso que fisgou a maioria dos leitores e dos telespectadores: a fantasia é um ponto tão desconhecido para os personagens como para nós. Por exemplo, tanto o livro quanto a série – e a vindoura revista em quadrinhos – começam com o embate de alguns partrulheiros com os Caminhantes Brancos. O que são eles? O que querem? Se formos considerar a Velha Ama, são forças infernais que odeiam o Homem. Embora se diga que eles, os gigantes ou os filhos da florestam tenham se batido ou convivido com os Primeiros Homens, milhares de anos atrás, todos são dados como mortos e extintos. Só que, dessa forma, como explicar a aparição de uma loba gigante e seus seis filhotes? Ou dos mortos se erguendo para assassinar o comandante Mormont da Patrulha da Noite? E os “filhos” de Daenerys? Sem falar nas coisas que vivem Para Lá da Muralha… Enfim, assim como nós, fãs, o seu personagem favorito precisa, também, em maior ou menor medida, aprender a lidar com essa nova realidade.

Não sei de vocês, mas sou um leitor contumaz de fantasia. Percebo, nessa obra, algo que falta em muitas outras: tornar esse “fantástico e desconhecido” algo crível. Obviamente, você não espera (Infelizmente…) encontrar ovos de dragão pela rua, mas esse desenvolvimento faz com que, aos poucos, você aceite a “magia”, de lendas verdadeiras e muitos horrores.

Cotidiano

Talvez, “cotidiano” não seja o termo correto para definir esse ponto, mas… Ao meu ver, é quase certo que ele engloba todos os aspectos anteriores. Exceto por raros exemplos – inclusive da literatura fantástica – você não observa pessoas como você lidando com mortos-vivos e entidades (Ou, ao menos, eu espero que você não lide…). E as Crônicas têm exatamente isso: pessoas como eu e você.

Dentro de toda essa esfera de conspiração, morte, batalhas medievais e seres fantásticos, temos pessoas que se deprimem, que têm medo, que são exageradamente ricos, que vivem a extrema miséria… Pessoas que riem, sofrem, fazem o bem, fazem o mal, transam e que, com o perdão da expressão, embora conste nos livros, só querem ter a liberdade de comer e cagar sem se preocupar com guerras de reis ou com a ameaça dos Outros. George R. R. Martin, o autor, fez um trabalho muito louvável ao dar todo esse espectro a todos seus personagens e ao ambiente em que vivem. Considero que, inclusive, isso foi fortemente representado com Arya Stark.

Além de ter uma personalidade toda característica, fugindo do esperado para uma menina e para uma nobre, fica muito claro que Arya convivia muito bem com os “plebeus” e subordinados de sua família. No livro, um antigo apelido seu era “Arya Debaixo dos Pés”, por ter um contato direto e amigável com todos que viviam em Winterfell, mesmo os mais humildes. Mais tarde, seu relacionamento com Syrio Forell e, quando da prisão e execução do pai, sobrevivendo nas ruas, mostrou-se algo pouco usual. Similar ao Batman de Chris Nolan, Arya conviveu com a mendicância, com a sujeira, com o crime e com o desespero de não ter proteção ou abrigo algum – entre os miseráveis da cidade, churrasquinhos e sopas de pombo, rato ou cão são bem comuns. Sem falar que, em uma cidade como Porto Real, poderia ter sido assassinada, estuprada ou coisa pior. No livro, fica bem claro como ela enfrenta até ser encontrada por Yoren da Patrulha da Noite e, mesmo assim, a coisa não fica mais fácil…

Outro ponto válido, nesse quesito, é a como sexo e sexualidade são abordados. Mais presentes no seriado que no livro, relações carnais representam, também, relações de poder, como estabelece a situação dos bastardos de Robert Baratheon… Claro, nem tudo é belo e, sobretudo, consentido: estupros e casamentos forçados são prática comum, como já foi em nossa cultura e, infelizmente, é na cultura de outros países. Entretanto, não deixa de ser bonito, de certa forma, quando vemos Tyrion e Shae, Cersei e Jaime – apesar dos pesares – ou, até mesmo, Renly Baratheon e sor Loras (É quase como se Nelson Rodrigues escrevesse fantasia…). Embora a cena em questão não apareça nos livros, ponto para Martin e a produção ao mostrar que, mesmo num mundo de Caminhantes Brancos e dragões, você pode optar pelo que lhe atrai – em outros mundos de fantasia, a existência da homossexualidade nem seria cogitada, isto é.

E a violência atrai, também. Aqui, cito o “relacionamento” entre os irmãos Sandor e Gregor Clegane: Gregor, a Montanha que Cavalga, feriu gravemente Sandor, o Cão de Caça, apenas pela gratuidade do ato. No livro, o ódio de Sandor pelo irmão é muito mais palpável, e se percebe, também, como a Montanha é um homem atroz e monstruoso. Assim, acredito que os homens comuns de Westeros e além são muito mais preocupantes que o Rei de Para Lá da Muralha ou os poderes de uma maegi como Mirri Maz Durr… Falando nela, a presença de tanto rancor, ressentimento e ódio tornam, também, a obra mais crível: como culpar os atos de uma pessoa que, além de agredida e violentada, perdeu tudo que conhecia?

Claro que, apesar dessa ótica cruel – que nós também vivemos, afinal existe um amor como o de Dany por Khal Drogo e de Catelyn Tully por seu marido e filhos. Ou a dignidade, honra e lealdade que só um homem como Eddard Stark pode expressar.

Enfim, essas poucas linhas não representam a totalidade de As Crônicas de Gelo e Fogo ou do seriado de Game of Thrones. Só não tínhamos como não gostar de algo que junta era medieval, História, política, guerra, dragões e zumbis! É tudo extremamente excelente e, como leitor, foram poucas as vezes que me sinto com um “participante” dessa história… Não é à toa que, hoje, é um considerado uma das melhores obras literárias e está entre os melhores seriados dos últimos anos.

Curiosidades:

- No seriado, são citados os nomes dos lobos gigantes de Jon Snow, Arya, Sansa e, muito rapidamente, Rickon: Fantasma, Nymeria, Lady e Cão Felpudo, respectivamente. No livro, sabemos que o lobo de Robb Stark chama-se Vento Cinzento e Bran, por sua vez, ao sair do “coma”, nomeia o seu como Verão.

- Sim, como escrito acima, Cão de Caça tem nome; Sandor. E, aparentemente, cultiva uma “paixonite” por Sansa Stark…

- Diferente do seriado, Osha sabe muito mais sobre Para Lá da Muralha e seus perigos. Na cena em que se defronta com um Hodor nu, cogita a possibilidade do mesmo possuir “sangue dos gigantes”.

- Ora, Hodor também tem nome! E não é “Hodor”! :D

- Se os Caminhantes Brancos fossem apresentados, no seriado, como são descritos no livro, estouraria o orçamento…

- Nunca confie em Mindinho.

- Já no primeiro livro, fala-se de Mance Rayder, o Rei de Para Lá da Muralha. Comandante Mormont e a Patrulha da Noite – melhor cena do último episódio, ao meu ver! – marcham para confrontá-lo, também.

- No final do último do episódio, é sor Jorah Mormont que pronuncia “Sangue do meu sangue!”, ao ver Daenerys erguer-se das cinzas acompanhada pelos três dragões. Porém, no livro, quem diz isso são Jhogo, Aggo e Rakharo. Afinal, ela se autoproclamou khal e, a eles, seus kos, os companheiros de sangue.

- Falando nisso, Dany não pode mais ter filhos.

Sobre o Autor:
Emanuel Cantanhêde é desenhista, professor e pretende deixar currículos para se tornar Caminhante Branco. Leu A Guerra dos Tronos em 5 dias e, no tempo livre, xinga muito os Lannister no Twitter.

@EmanuelCR

K: o computador mais potente do mundo

Ainda em construção, o computador K, foi anunciado pela empresa japonesa Fujitsu, como sendo o computador mais potente do mundo.
O posto era ocupado pela máquina chinesa Tianhe-1A.
Para funcionar, K utiliza uma quantidade de energia suficiente para abastecer dez mil casas.
K é capaz de fazer 8,2 quatrilhões de cálculos por segundo e possui 68544 CPUs , armazenados em 672 racks.
K será finalizado em 2012 e quando estiver pronto terá 648352 processadores !

Muito legal, só que seria melhor se fosse um computador verde ! :D

Comemorações no mundo dos games! by my_pandoras_box

Quarta-feira(22/06) rolou no twitter (@get_nuts) a votação de melhor jogo do Nintendo 64, com títulos como StarFox64, Pokémon Stadium, Super Mario 64, Mortal Kombat, The Legend of Zelda: Ocarina of Time e outros.
O vencedor foi um dos jogos mais conhecidos e amados: Ocarina of Time! Mas, ainda temos outras duas comemorações… por coincidência do dia do post, temos o aniversário do N64, que completa 15 anos, e do também querido Sonic, que completa 20 anos! ;)
Falemos primeiro sobre o Zelda (que ainda tem muita gente que chama o Link de ZELDA, enfim..) Bem, alguém aqui tem ainda ou recorda da ansiedade em ter ele em mãos, ver aquela clássica capa vermelha?!

Zeruda no Densetsu: Toki no Okarina foi lançado em 1998, marcado por uma novidade: primeiro jogo da empresa com gráficos totalmente em 3D, vendendo proximadamente 8,5 milhões de cópias, obviamente foi um dos melhores jogos de todos os tempos!

Em 2003, Zelda foi relançado para o Nintendo GameCube como um “bônus”. O disco também incluia uma versão melhorada, intitulada The Legend of Zelda: Ocarina of Time Master Quest.
Ocarina of Time é um jogo de ação/aventura com RPG. Assim como os outros Zeldas, Hyrule é um vasto território no qual Link tem de procurar os calabouços – os dungeons – para conseguir itens e cumprir os objetivos. Em cada calabouço é necessário procurar um mapa e uma bússola, chaves para abrir as portas e um item especial, geralmente usado para derrotar o chefe do calabouço.
Por ser o primeiro jogo da série totalmente em 3D, o jogo foi desenvolvido de modo que não se afastasse da essência dos outros jogos em 2D, mas ao mesmo tempo não limitando a jogabilidade e a exploração do cenário. Durante sua produção, Ocarina of Time apresentou muitas diferenças visíveis na interface com o usuário e na jogabilidade. Inicialmente a versão “criança” de Link não estava presente no jogo, havia apenas o Link adulto e sem a companhia de uma fada. Outra mudança foi no sistema de seleção e de uso de itens, que após diversas versões, finalmente passou a integrar o jogo.
A trilha sonora foi criada por Kōji Kondō, o tradicional colaborador da série Zelda. As músicas foram editadas em 2 CDs: um com as versões originais, e outro em versão orquestrada, intitulado The Legend of Zelda Ocarina of Time Symphony Album.

Ah sim, vale lembrar que a alguns dias foi lançado o The Legend of Zelda: Ocarina of Time 3D, para a Nintendo 3DS, onde podem conferir o vídeo e imagem da capa do jogo. Ainda não joguei, mas os queridos leitores que estão conferindo esse post, podem deixar suas impressões sobre o jogo aqui nos comentários! ;D

Falando um pouco sobre o Nintendo 64…
O N64 foi lançado em 23 de junho de 1996, sendo o terceiro console da Nintendo e que inicialmente se chamou Project Reality e depois Ultra 64, antes de levar o nome definitivo. As novidades ficavam em torno das melhoras na computação gráfica 3D e um novo joystick analógico.

A Nintendo optou por continuar utilizando os conhecidos cartuchos…(que a maioria aqui pode confessar…vocês sopravam eles para ‘pegarem’, né?!)…bem, voltando: essa decisão foi surpreendente, pois a escolha dos concorrentes em utilizar algo mais atualizado, como CD-ROM (Sega Saturn), parece ter prejudicado um pouco as vendas e lançamentos para N64. Cabe lembrar que os CD-ROMs são mais baratos de produzir do que cartuchos.

Mesmo assim, o Nintendo 64 vinha com características “inovadoras”, tais como suas 4 entradas para controles, o joystick analógico, o rumble pak (fazia com que o controle tremesse) e um processador de 64 bits (por isso o nome do console, obviamente).
O primeiro jogo do Mario em 3D foi lançado para o N64 com o título de Super Mario 64, comum a quase todos os jogos 3D até hoje. Outros jogos de sucesso foram Super Smash Bros e The Legend of Zelda: Ocarina of Time (já citado nesse post).

Por fim, vamos lembrar de outro clássico, mesmo sendo da concorrência… SONIC!
Então, hoje esse ouriço/porco-espinho (ou seja lá o que quiserem chamar), azul e que corre pra caramba, está fazendo 20 anos! Ok, estamos ficando velhos! \o/ #not
Bem, o post foi mais voltado para o resultado da nossa enquete via twitter e um pouquinho da história do N64, porém fica a lembrança das sequências do Sonic (que já dividiu jogo com o nosso conhecido encanador bigodudo (e mexicano – HAHA), Mario!
O primeiro vídeo abaixo, é um pouquinho da história do Sonic ao longo dos anos, bacana de assistir e relembrar ;)
Sonic – História YouTube
(Créditos para a Sega of Japan)

A poucos dias, foi lançado o demo do Sonic Generations, em comemoração à esses 20 anos do personagem mais conhecido da Sega. Confiram o vídeo: Demo Sonic Generations – YouTube

Espero que tenham gostado da minha “estréia” por aqui, nos vemos em outros momentos! ;)

Beijos e abraços,
@my_pandoras_box

Star Wars Blueprints: os planos da Estrela da Morte em suas mãos

Do mesmo autor do livro “The making of The Empire Strikes Back” e da editora Epik, Inc (uma nova editora de livros de alta qualidade de colecionáveis e e de edição-limitada) será lançado no início da primavera o livro Star Wars – Blueprints.
O livro é o primeiro do tipo a trazer mais de 200 blueprints dos designs originais criados pela produção para os 6 filmes da saga Star Wars.
Estes blueprints até agora arquivados na LucasFilms ,foram liberados pela primeira vez e foram encadernados em uma edição limitada de apenas 5.000 exemplares. A edição contém mais de 500 fotos e ilustrações.

Entre os blueprints estão incluídos:

Millenium Falcon
Droids, incluindo o R2-D2
Os Y-wing e X-Wing starfighthers
A cantina
A Estrela da Morte (Death Star)
A Floresta Ewok , a batalha de Hoth e muito mais…

O mais impressionante é a qualidade dos detalhes e a realidade passada pelos desenhos , que foram cuidadosamente selecionados por J.W.Rinzler, que também mergulhou nos arquivos e revelou a história por trás de cada print, linkando com imagens , modelos de produção e cenas dos flmes.

O livro ainda contém entrevistas com Norman Reynolds, diretor de arte do filme original Star Wars e Gavin Bouquet , designer de produção dos episódios I, II e III.
Vários desenhistas e projetistas que trabalharam na equipe da saga também enriquecem o livro com seus depoimentos de como toda a galáxia foi construída do conceito para o blueprint e finalmente para as telas.

Sem dúvida nenhuma, um ítem incrível para a colecção dos fãs de Star Wars! Todas as 5000 cópias são numeradas a mão e possuem certificado de autenticidade !

Bem, o preço é um tanto salgado … As 125 primeiras cópias que são autografadas por Norman Reynolds e Les Dilley (diretores de arte e vencedores do prêmio da academia) e Roger Christian responsável pelo figurino custam U$1.000 e as cópias do nº 126 a 5000 vão ser vendidas a U$500.

Maiores detalhes e fotos do interior do livro você encontra no site da Epik. :d

Millenium Falcon

R2D2

Câmara de Congelamento em Carbonite

Nebulosa cor de esmeralda ou brilho do anel do Lanterna Verde?

Seria o rastro do brilho do anel do Lanterna Verde?

Este lindo anel cor de esmeralda foi fotografado pelo telescópio Spitzer da NASA e trata-se de uma nebulosa. Uma nebulosa é uma nuvem de poeira, hidrogênio e plasma e em geral são regiões de formação de novas estrelas.

Astrônomos da NASA acreditam que anéis deste tipo são criados `a partir da poderosa luz das estrelas gigantes  “O”. As estrelas gigantes “O”  são as estrelas de maior massa conhecidas até agora.

Aplicativos para ler suas HQs em tablets ou smartphone

Entre as opções de entretenimento disponíveis para o seu tablet e smartphone, existem as HQs digitais.
Confira aqui alguns aplicativos para desfrutar desta ótima opção de lazer:

Para Apple: o aplicativo Comics
 traz as revistas dos selos Marvel Comics, IDW Publishing, Archie Comics, Dynamite Entertainment e Ape Entertainment, além de obras de outras editoras menores. Basta circular pelas opções do aplicativo para encontrar algumas pérolas do mundo dos quadrinhos.
 Plataforma: iOS 4 (iPad e iPhone)

Para Apple: o aplicativo Comic Zeal é um dos aplicativos do gênero mais antigos para iPhone e oferece diversas opções de leitura. Além disso, pode transferir os quadrinhos do smartphone para o iPad com ajuda do iTunes. 
Plataforma: iOS (iPhone e iPad)

Para Smartphones: o aplicativo Comic Reader Mobi
 foi desenvolvido de olho nos smartphones. Seu desenho favorece a visualização dos quadrinhos em telas menores, facilitando a vida de quem não quer andar com o tablet à mostra pela rua.

Plataforma: Android (preferencialmente smartphones).

Para smartphones e Tablets: o aplicativo Vintage Comic Droid
. Centenas de revistas antigas estão disponíveis gratuitamente para este aplicativo, muitas em preto e branco. Fãs da antiga série de TV Comandos em Ação podem baixar os quadrinhos originais (em inglês) que faziam parte da franquia que divertiu uma geração de crianças.

Plataforma: Android (Smartphones e tablets).

Se você utiliza algum desses deixe sua avaliação em comentários !
Obrigada :D

Geek Style: Restaurante com mesas touchscreen para o cardápio

Imagine você ir a um restaurante e não ter que aguardar o garçom para anotar o seu pedido…
Isso já é possível se você viajar para Tapei (Taiwan) e ir ao moJo ICuisine.
Lá não há um cardápio físico, o menu é projetado em cada mesa e sensores na mesa permitem que você navegue no menu, veja os detalhes de cada prato, faça o pedido e até pague a conta.
Após ter feito o seu pedido, você poderá se divertir com jogos, enquanto aguarda a comida e também poderá conferir promoções e novidades de vários anunciantes. Você pode escolher a sua toalha virtual e enquanto come pode checar a conta e ver quanto já gastou.

Além de oferecer entretenimento, agilidade para os clientes e ser uma facilidade para turistas que podem checar as fotos dos pratos, o restaurante implementou um banco de dados que armazena as preferências dos clientes.

Bem, se você estiver indo para Taiwan … dê uma passadinha por lá. :D

A aventura de Star Trek continua em versão HQ

A Editora IDW e a CBS anunciaram que um novo projeto de comic book para Star Trek está em desenvolvimento e dará continuidade `a jornada dos personagens da nave Entreprise.

STAR TREK #1 está prevista para sair em Setembro e vai explorar a gama de implicações da linha do tempo alternativa criada pelo filme.
As aventuras da Enterprise continuam com o novo elenco do filme nas missões revistadas da série original de TV com novas ameaças e personagens nunca vistos antes.
Sob a direção do criaitivo Roberto Orci (roteirista e produtos de Star Trek – 2009), o escritor Mike Johnson e o artista  Stephen Molnar  trazem este universo alternativo `a vida e iniciam a contagem regressiva para a sequência de Star Trek.
A primeira edição virá com uma surpresa: um ticket promocional dourado , cujos maiores detalhes serão revelados em breve pela IDW.

STAR TREK #1 ($ 3.99, 32 páginas) .

Contagem regressiva para os Trekkers que como eu, vão aguardar ansiosamente este lançamento…

Nasa faz descoberta nas fronteiras do nosso Sistema Solar

As sondas Voyager 1 e 2 estão agora há 9 bilhões de milhas (aprox. 14,5 bilhões de km) da Terra e estão na fronteira de nosso sistema solar.
Lá, onde ninguém já foi antes…, as sondas Voyagers acharam enormes bolhas de ar eletromagnéticas. Cada bolha mede em torno de 160 milhões de km de largura.
As bolhas são consequência do campo eletromagnético gerado pelo movimento do sol.
Cientistas da NASA ainda precisam responder qual seria a função deste enorme campo de bolhas. Será que eles protegem ou não nossos planetas e todo o sistema dos raios cósmicos, nuvens inter-estelares e outros eventos que ocorrem no espaço …?

Universo – Carina Nébula, uma fábrica de estrelas

A foto acima mostra uma das regiões em formação de estrelas mais ativas da nossa galáxia. A Grande Carina Nébula, também conhecida com NGC 3372, é o berço de formação de novas estrelas e também da morte de velhas estrelas.
A estrela mais brilhante `a esquerda na foto é Eta carrinha, uma estrela com massa 100 vezes maior que o nosso Sol.
Fonte: NASA.

Piada Nerd – Star Trek em missão de reconhecimento

Não é que falta um especialista em mídias sociais no time da Star Trek ?
Boa semana a todos !

Promoção GetNUTS e SCWorld – Universo Marvel

Desta vez a GetNUTS e o blog SCWorld vão sortear um Mighty Muggs do Universo Marvel!
Para participar é só clicar no link ao lado – promoção Mighty Muggs.

Geek Style: Giz de Cera Star Wars

Fofos não?
Só faltou o Han Solo em carbonite no giz de cor prata !
Se você for habilidoso, vale tentar e manda a foto para a gente publicar !
:D

Geek House: Banheiro Star Wars

Nerds, Geeks e viciados em Star Wars, quem não gostaria de ter um banheiro destes ? Fala sério !

O design é de Emily Jagoda e foi projetado para ser um banheiro infantil.

Bem, para todos os geeks e nerds este banheiro cairia muito bem… sem essa de idade.

Geek Fashion: Embalagem do All Star do Super Mario é para guardar!

Há 3 semanas atrás a gente postou o lançamento do All Star do Super Mario em comemoração aos 25 anos deste mega star dos games.  Se você já amou o tênis, é porque ainda não tinha visto a embalagem…

Dá para acreditar?  Viram  detalhe do random block e do ítem surpresa que é o all star vermelho ?

Bem não vai ficar animadinho, porque o lançamento é só no Japão ! Conhece alguém que mora lá ou vai viajar para lá ?  Então põe na sua lista de desejos…

Veja também:  All Star Super Mario – edição limitada

Sorteio Dia do Orgulho Nerd em parceria c/o blog Smurfet

Dia 25/05 comemora-se o dia do Orgulho Nerd e a GetNUTS não poderia deixar de trazer uma promoção especial!

Vamos sortear em parceria com o blog da Smurfet um kit com 3 incríveis pelúcias de super-heróis da Marvel.
O sorteio vai rolar no dia 25/05!
Para saber como participar é só clicar aqui.
Boa Sorte !

© 2017 GetNuts Figuras de Ação e Colecionáveis. All Rights Reserved. Login

- Designed by Gabfire Themes