/*Modifica icone na barra de enderecos */ /*Modifica icone na barra de enderecos */
Home »

Nossos bruxos favoritos by @ma_fantini

Na infância, somos apresentados a uma personagem que será recorrente em nossa vida – pelo menos nos filmes, desenhos, livros e quadrinhos – que são as bruxas. Geralmente, elas nos são introduzidas pela Disney, já que são raros os seus desenhos que não tem uma delas no elenco. A primeira que conheci, se não me falha a memória, foi a Bruxa de Branca de neve. No início uma bela mulher que depois se transformou numa velha encarquilhada, com um nariz torto e coroado com uma imensa verruga, os olhos malévolos e a risada aterradora. Isto sem falar dos trajes: um chapéu longo e um vestido disforme, os dois negros. Esta imagem iria caracterizar todos os bruxos e bruxas de minha vida por um bom tempo.

Foram as bruxas dos gibis do Tio Patinhas que começaram a mudar minha imagem sobre a classe. Não tinha como não ser solidária à Madame Mim, atrapalhada e desajeitada, em sua eterna perseguição ao amado Mancha Negra. Na era bonita, mas era mais agradável de se ver. Sua parceira constante era a Maga Patalógica, cheia de charme e bonita, foi a primeira bruxa sedutora que conheci (claro, só percebi esta característica bem mais tarde).

Madame Mim e Maga

E foi a bruxinha Luísa, parceira do Gasparzinho, quem consolidou minha simpatia pelas bruxas. A loirinha, além de bonita, era boazinha. Mais tarde, ainda nos quadrinhos, conheci bruxas e feiticeiras ainda mais belas e poderosas: Feiticeira Escarlate, Zatanna, Ravena e muitas outras. Umas do bem e outras nem tanto. Estou sendo sexista! Nos quadrinhos encontramos alguns feiticeiros muito poderosos também (e muito bonitos): Constantine, Mandrake, Dr. Estranho, Fausto, Timothy Hunter, Klarion, Mago Shazam, Senhor Destino, Doutor Destino e muitos outros.

Na televisão também tivemos bruxas e bruxos que marcaram e influenciaram. Uma das primeiras de que me lembro é a Samantha Stephens, de “A Feiticeira” (o seriado, não aquele filme horroroso que fizeram), e sua torcidinha de nariz. Quem nunca tentou? Assistia as reprises da série e me divertia muito com aqueles bruxos tão humanos – preciso comprar as caixas desta série.

A feiticeira

Mais recentemente a televisão nos trouxe a simpática Sabrina (Aprendiz de Feiticeira) e as complicadinhas irmãs Halliwell (Charmed), além de Willow (Buffy) que desenvolveu seus poderes muitas temporadas depois na série. Nossa contribuição na telinha foi a Morgana (Castelo Rá-Tim-Bum), bem festiva e cantante, tivemos outras mas ela superou todas. Ah, e temos a Baratuxa (Chapolin), que trouxe novamente para a TV a imagem da bruxa de chapéu, narigão e vassoura.

Morgana - Castelo Rá-Ti-Bum

Bruxos na televisão são meio raros e não se destacam tanto, entretanto na telona eles predominam e mandam bem. A maioria migrada dos livros, como Gandalf (Senhor dos Anéis). Vamos começar pelas mulheres, e pelo filme “O Mágico de Oz”, com Glinda – a Bruxa Boa do Sul, e a perigosa Bruxa Malvada do Oeste. A segunda muito feia e a primeira o contrário: bela. E o que dizer da belíssima Gillian Holroyd (Kim Novak), em “Sortilégio de Amor”? Comédia antiga e que passava na Sessão da Tarde, com uma bruxa sedutora. Tivemos também o trio de beldades, Alexandra, Jane e Sukie, que apelam para a feitiçaria para espantar o homem “perfeito” que conjuraram em “As Bruxas de Eastwick”. Não podemos esquecer as irmãs Sally e Gillian Owens (Da Magia a Sedução), metidas em encrenca desde sempre. Temos diversas bruxas interessantes na série Harry Potter, mas vou citar só duas para não escrever um tratado: Hermione Granger e a Professora Mcgonagall. Num patamar diferente, temos a geladissima Feiticeira Branca (Nárnia), a pérfida Eva Ernst (Convenção das Bruxas), a traiçoeira Lamia (Stardut) e a tresloucada Bellatrix Lestrange (Harry Potter), todas extremamente maquiavélicas e cheias de maldade.

Minerva e Hermione - Harry Potter

Na televisão o predomínio é da mulheres, mas na telona o poder é dos homens. Podem até perder em número, mas jamais em poder. Os grandes magos proliferam no cinema, detendo o poder e comandando o circo. Já citei Gandalf, que era O Cinzento e se tornou O Branco, mas não custa repetir e ele merece este mimo. No mesmo nível de poder, temos Merlim (Excalibur e muitos outros), que ganhou diversas versões no cinema, mas seu poder permanece inabalável. Na telona vimos todos os tipo de magos, tivemos Tim O Encantador (Monty Python Em Busca do Cálice Sagrado), Mickey Mouse (Fantasia) e até a fraude conhecida como Mágico de Oz (ele merece estar aqui só por ter conseguido enganar todos em Oz, isto já foi uma mágica). Outro feiticeiro interessante era o Dr. Lao (As Sete Faces do Dr. Lao), que personificava todas as atrações de seu circo. Como menção honrosa, já que está num de meus filmes favoritos, quero citar High Aldwin (Willow – Na Terra da Magia), mentor de Willow. Novamente temos Harry Potter e sua imensa lista de bruxos marcante, ficarei com dois: Dumbledore e Snape. E no lado negro da magia temos uma galeria poderosa: Saruman (Senhor dos Anéis), Jareth (Labirinto), Voldemort (Harry Potter) e Gargamel (Smurf). De dar medo!

Gandalf e Saruman - O Senhor dos Anéis

Dr. Lao

Para encerrar, temos um feiticeiro que não soube enquadrar em nenhuma categoria. O cara está está lá para ajudar, mas prefere só dar enigmas: Mestre dos Magos (Caverna do Dragão). Não me entendam mal, eu gosto bastante do baixinho, só que ele podia ser menos carente e ajudar logo o povo a voltar para casa, não?

Abraços,
@ma_fantini

Sai o primeiro teaser trailer de “The Avengers”

Finalmente o trailer que todos nós estávamos esperando …
A Marvel e a Disney liberaram o primeiro trailer teaser de “The Avengers” .
Estrelado por Robert Downey Jr (Iron Man) , Chris Hemsworth (Thor), Chris Evans (Capitão América) , Mark Ruffalo(Hulk) , Scarlett Johansson (Black Widow) , Samuel L. Jackson (Nick Fury) e Tom Hiddleston (Loki), o filme traz junto um time da pesada de super-heróis e promete ….

Bem, a estréia nos EUA está prevista para 4 Maio de 2012 e até lá que venham mais trailers e teasers como este :D

Eu gostei e você ?

O Dia em que a Terra parou : GORT – estátua

Klaatu, Barada, Nikto! Gort está aqui e maior do que nunca! Personagem do clássico filme ” O Dia em que a Terra parou” ! Belíssima peça de 40 cm que vai decorar o seu escritório ou home-theater. Edição Limitada: 1.951 peças.
Você encontra na GetNUTS – a sua loja de colecionáveis na internet :P visitar a loja

Betty Boop versão Black & White

A linda Betty Boop em versão “Black & White” vintage com seu vestido aberto na lateral e deixando `a mostra sua cinta-liga. Pressione um botão e ouvirá diversas frases desta charmosa bonequinha.
“Hi i´m Betty Boop, Boop Oop-A-Doop”, “Smaaaack!”…
Você compra na GetNUTS – a sua loja de colecionáveis na internet :P visitar a loja

Comédia: Monty Phyton, se você ainda não viu…não deixe de ver by @JuSelise

A série.
A série britânica Monty Python Flying Circus foi exibida pela BBC entre 1969 a 1974, era apresentada em sketches, pequenas cenas, do mais puro humor britânico. É necessário observar que este humor é bastante peculiar e possui uma legião de fãs fiéis a este estilo, muitas vezes não verbal e recheado de sutileza, malícia e até absurdos.

Monty Python Flyig Circus, que não se limitou à série, deu origem à programas de rádio, e filmes longa metragem e acabou por se tornar uma referência tão grande da comédia, criando o termo pythonesque, em tradução livre ‘pythonesco’, que pode ser encontrado em dicionários da língua inglesa para indiciar algo surreal ou absurdo.
Curiosidades:
1 – O termo SPAM é originário de uma sketch do Monty Python. Spam é um tipo de apresuntada muito comum na Inglaterra e no quadro apresentado em 1970 foi associada a algo indesejado que tentam empurrar para você de qualquer maneira:

2 – Douglas Adams, autor da série de livros “O guia do Mochileiro das Galáxias”, foi uma das únicas duas pessoas, fora os membros originais, a participarem da roteirização da série, tendo contribuído também para o esboço de Em Busca do Cálice Sagrado.

O filme.

Monty Python – Em Busca do Cálice Sagrado (Monty Python and the Holy Grail) foi o longa escrito, dirigido e estrelado pela equipe do Flying Circus durante o intervalo entre a terceira e última temporada da série. Diferente de outros trabalhos da equipe até então, o filme era constituído por material inteiramente novo.
Baseado na lenda do Rei Arthur e sua busca do Santo Graal, foi um sucesso quando esteve em cartaz em 1975, ainda que fosse de uma ousadia gigantesca para a época, e ainda é considerado por muitos o melhor filme de comédia da história.
Elenco
• Graham Chapman – Rei Artur / Deus / Cabeça do meio
• John Cleese – Cavaleiro Negro / Sir Lancelot, o Bravo / Tim
• Eric Idle – Sir Robin, o Não-tão-bravo-quanto-Sir Lancelot / Concorde / Irmão Maynard / Roger the Shrubber
• Terry Gilliam – Patsy / Cavaleiro verde / Sir Bors
• Terry Jones – Sir Bedevere / Príncipe Herbert (voz)
• Michael Palin – Dennis / Sir Galahad o Puro / Narrador / Rei do Castelo no Pântano / Irmão do Irmão Mynard / Líder dos Cavaleiros que falam ni!

O filme começa com Arthur, o rei dos bretões, procurando cavaleiros para se unirem a ele em Camelot. Ele encontra muitos cavaleiros, incluindo Sir Galahad – o Puro, Sir Lancelot – o Bravo, o tranquilo Sir Bedevere e Sir Robin, o Não-tão-bravo-quanto-Sir Lancelot. Eles não viajam em cavalos, mas fingem que o fazem, tendo auxílio de seus servos batendo cocos para simular o som dos cascos. Eles encontram Camelot, mas depois de uma breve música e dança eles decidem que não querem ir para lá. Enquanto caminham com seus cavalos fictícios, Deus (que parece ser mal-humorado) aparece a eles a partir de uma nuvem e diz que devem encontrar o Santo Graal. Eles concordam e começam sua busca.

Enquanto buscam o Graal, as cenas e contos de cavaleiros nos mostram por que eles tem os nomes que lhes foram dados, além de passarem por cenas interessantes e conhecerem pessoas (ou animais!?) mais interessantes ainda, como os Cavaleiros que dizem Ni e um fofo coelhinho acima de suspeitas.

O filme é repleto de cenas toscas e efeitos mal feitos, o que não atrapalha, ou até contribui para que o filme seja tão bom. Críticas à monarquia, Igreja e a Santa Inquisição com a “caça às bruxas”, a disputa de terras entre ingleses e franceses, a colonização da Escócia, fazem parte das diversas críticas que encontramos ao longo da película. Exemplo disto é a cena em que tentam provar que uma mulher é bruxa, que embora absurda não foge do absurdo dos métodos praticados na época da Inquisição.

Paisagens da Escócia constituem as maiores locações do filme, como o castelo de Doune. Muitos dos castelos apresentados são o mesmo Doune Castle visto de diversos ângulos ou até mesmo de modelos mal feitos de cartolina, o que acaba por ser observado em forma de auto-crítica pelos próprio grupo de cavaleiros, como podemos observar no diálogo seguinte:

Lancelot: Olhe, meu rei.
[soam trombetas]
Rei Arthur: Camelot.
Sir Galahad: Camelot.
Lancelot: Camelot.
Patsy: É somente uma maquete.
Rei Arthur: Shh.

Recomendadíssimo, Monty Python – Em Busca do Cálice Sagrado é um filme imperdível, atemporal que podemos dizer até, moldou o caráter de muita gente!

Espero que gostem da minha dica de estréia no GetNUTS! Este filme é muito especial para mim, pois junto com Indiana Jones, Star Wars, De volta para o Futuro, formou meu carater nerd. E como disse acima, arrisco dizer que fez o mesmo por muitos outros fãs de diversas gerações por aí!
Amo cultura Pop, colecionismo principalmente de edições especiais de filmes e figuras de ação e estátuas, mas aqui em casa é fácil, pois somos um casal de nerds de carteirinha, eu e o @DougOblivion
Visitem nosso blog www.dowant.com.br

Abraço, @JuSelise

Motos iradas: Ghost Rider e sua “Chopper” by @my_pandoras_box

O visual da moto do filme “Ghost Rider” (Motoqueiro Fantasma) se baseia nos moldes de uma moto “chopper“.
Ghost Rider é um filme americano, lançado em 2007. Dirigido e escrito por Mark Steven Johnson, com Nicolas Cage como protagonista. O longa é baseado no personagem de uma HQ da Marvel Comics.
O filme teve um orçamento de 120 milhões de dólares.

>>>> Johnny Blaze é um famoso condutor de moto, notório por suas acrobacias. Um dia, para salvar a vida de seu pai ele faz um pacto com o diabo, chamado Mephistopheles (alguém lembrou do Chapolin?! HAHAHA), recebendo uma maldição, tornando-se o famoso Ghost Rider!

Blaze, com a maldição, é escolhido como o demônio possuidor do fogo por Blackheart, filho de Mephistopheles, que fugiu do inferno com o objetivo de conquistar a Terra com ajuda de quatro demônios (representando os elementos da natureza) chamados The Hidden. Havia o demônio Gressil que é o elemento Terra, Abigor é o Ar e Wallow é a Água.
Apesar de toda essa história, que mistura maldade e mistério, Johnny terá que usar sua maldição para o bem, detendo os planos de Blackheart com a ajuda do ex-Cavaleiro Fantasma, chamado Carter Slade.
<<<<

As chopper são motos que derivam das “custom”*, com a diferença na posição do tanque que é alto na frente e baixo atrás formando uma linha com o eixo da roda traseira, o garfo da frente tem um ângulo em relação ao motor maior que nas custom e seu comprimento também é maior deixando a distância entre eixos bem grande.
*moto custom: são estradeiras, preferidas por um público mais tradicional. Não priorizam a velocidade e são mais voltadas ao conforto, mantendo a altura do banco baixo, pedaleiras avançadas, tanque grande em posição paralela ao chão de forma a proporcionar uma posição confortável para pilotagem. São muito confortáveis para viagens longas, seja sozinho ou acompanhado. O piloto fica recostado para trás, com os pés para a frente, com as costas geralmente apoiadas em encostos chamados de “sissy bar”. Além disso, a maioria das peças são cromadas e brilhantes, copiando o design das motos antigas. Geralmente possuem o “bagageiro” (alforjes) em couro. Quem não gostaria de uma linda máquina dessas né?! ;D

As Chopper nasceram durante regresso dos soldados, vindos da 2ª Guerra Mundial e acostumados a pilotarem na Europa motos mais leves e ágeis, e com isso começaram a retirar peças dispensáveis; o termo “Chopper” vem de retirar, cortar.
Curiosidade: existe um documentário da Discovery sobre a grande história dessa moto! Me interessei em assistir, alguém aqui já viu e pode contar algo?! ;)

Como muitos sabem, o visual dessas motos é bastante despojado e agressivo. O conceito de moto chopper, originário dos EUA, foi disseminado mundo afora através do filme Easy Rider (Sem Destino), lançado em 1969, em que os atores Peter Fonda e Dennis Hopper interpretam os dois motociclistas que viajam pela América sobre suas choppers. Quando se fala em moto “chopper”, a primeira imagem que vem à cabeça é uma moto com muitos cromados, garfo dianteiro enorme, guidão alto (apelidado de “seca-sovaco” – #EURI) e tanque em forma de gota. As motos do filme Easy Rider, chamadas Capitão América e Billy Bike, talvez sejam as “Choppers” mais famosas do mundo.

A partir desse momento, o design da moto chopper se difundiu, o que levou os proprietários das Harley e das Indians a modificarem suas motocicletas em busca do visual chopper. Hoje, a industria de motos chopper continua com seu espírito “hand made”, mas não mais modifica motos de linha, e sim constrói as motos, desde o chassi, motor, tudo personalizado. A febre chopper é tamanha, que existe até um programa de TV, mostrando o dia-a-dia de uma fábrica de choppers, o American Chopper (Orange County Choppers, no original).
Para quem quiser assistir um episódio da série, dublado (pois quase 100% que há na internet não tem legenda) aqui está o link: http://www.youtube.com/watch?v=dSxyiKxrwuo
Para saber mais da história, tem um site (americano) muito bacana, o Raleigh Chopper que tem a história mais completa sobre a moto:
http://homepage.ntlworld.com/catfoodrob/choppers/history/history9.html

Existe o jogo para GBA e Playstation, não joguei eles…mas parecem interessantes! Alguém aqui já jogou algum deles? :D

E a HQ então?! Vou correr para comprar (nem atinei na época do filme, de buscar a HQ….)

Entre outros souvenirs do filme, tem capacete personalizado, figura de ação e Might Muggs (achei fofo!)

Espero que tenham gostado, um forte abraço pra vocês! ;)
@my_pandoras_box

Motos iradas: Shotaro Kaneda e sua moto sem nome by @marcelogrisa

AKIRA, o mangá de Katsuhiro Otomo (um dos mangás japoneses mais populares de todos os tempos) , conta a história: da fictícia Neo-Tóquio em 2019 (a Tóquio reconstruída após a III Guerra Mundial) , de indivíduos com capacidades psicocinéticas e de uma gangue de motociclistas liderada por Kaneda.  Acabou dando origem a um longa-metragem de animação com o mesmo nome, lançado em 1988.
Akira é o mais poderoso dentre as crianças psíquicas. Ele foi o causador da Terceira Guerra Mundial.
Kaneda é o protagonista que se junta `a uma guerrilha anti-governamental e sai com sua moto com objetivo de encontrar o misterioso Akira e salvar Key, que também faz parte do guerrilha..

O longa metragem mostrou a moto vermelha de Kaneda (acima) ao mundo. O modelo não existe oficialmente, mas se mostra um veículo de corpo longo, que pode fazer curva em dois tempos, já que a parte da frente tem uma articulação com o resto. Possui diversos computadores de bordo, motor pequeno porém potente (tecnologia avançada, né) e um banco confortável.

Kaneda Arte Gráfica

Muitos tentam emular a máquina com motos customizadas, principalmente pelo seu traçado marcante. Apesar do resultado não ser igual ao original, rende motocicletas interessantes… Alguns exemplos para vocês!


Bem… Se você não tiver uma moto e, naturalmente, a grana para o custom, sempre se pode fazer um papercraft…. Ou não.


É, eu avisei. :(

Mas ainda há uma nova versão da famosa moto, devido à adaptação de Hollywood para as telas, em live-action, de Akira. A produção, capitaneada por Leonardo DiCaprio (aparentemente, um entusiasta e fã de carteirinha da produção), contratou o designer inglês Chris Weston para fazer o novo desenho da moto, que está sendo fabricada pela BMW para o filme.
Prevendo os protestos dos fãs – blasfêmea! – ele se defendeu dizendo ser fã da aparência original da máquina, e que poucas alterações serão feitas.
Depoimento de Chris Weston: “Então a versão que eu criei é um pouco mais cheia e mais malvada. Os pneus e o motor são maiores, um pedaço da lataria foi removido para revelar as partes interiores. Kaneda era um membro de gangue que usava esses veículos como armas, então nós demos um visual mais batido e sujo, com riscos aqui e ali. Pela silhueta, você não teria problema em reconhecer que é a moto de Akira, mas à luz se revelam novos níveis de detalhes e texturas”, revela.

Resta ver no que dá, já que ainda não há imagens do resultado.

E, claro, como todo veículo muito legal, supimpa e tudo o mais, ainda há as miniaturas! Vou deixar um exemplo recente, lançado no início do ano, como versão de luxo – pelo Big Bad Toy Store, por “básicos” U$375 dólares. Ok, existem versões mais em conta, claro. Mas este tem neon nos computadores e outras partes da moto (só lembrava dos computadores terem luzinha XD).

Abraços, @marcelogrisa

Alf, o ET mais querido de uma época by @my_pandoras_box

A série americana Alf (Alien Life Form) teve início no dia 22 de setembro de 1986 e foi até 18 de junho de 1990, em um total de 102 episódios e fez um grande sucesso, usando o formato sitcom.
A série era rodada utilizando um grupo de pessoas (família) contracenando com um boneco, pequeno e peludo, conhecido como Alf, que na maioria das vezes só aparecia da barriga para cima. O boneco era manipulado para fazer seus diversos movimentos e uma outra pessoa se encarregava de fazer a voz.
Cada episódio tinha duração de 23 minutos, que foram transmitidos pela primeira pela rede NBC nos Estados Unidos. Alf foi um sitcom inspirado e ao mesmo tempo parodiando o filme ET: O Extraterrestre, de 1982. Pode isso gente?! :P
Nosso amigo protagonista da série, na verdade chamava-se Gordon Shumway e nasceu no dia 28 de outubro de 1756 no planeta Melmac. Um dia, Willie Tanner (patriarca da família Tanner) estava usando o seu radio amador em sua garagem, quando capta um sinal e logo em seguida uma espaço nave cai no local. Dentro da nave estava Gordon Shumway ou Alf como os Tanners passaram a chamar. O planeta de Alf havia sido destruído por uma guerra nuclear, apesar dos seus esforços de tentar salvá-lo. Com isso, o querido “Eteimoso” passa a viver com a família enquanto tenta consertar sua nave.

A Família Tanner* é composta por Willie (Max Wright) que trabalha como assistente social, sua esposa Kate (Anne Schedeen), e o casal de filhos Lynn (Andréa Élson) e Brian (Benji Gregory), além do gato de estimação Lucky. Os Tanners estão sempre escondendo Alf dos seus vizinhos fofoqueiros, o casal Trevor e Rachel Ochmonek (John LaMotta e Liz Sheridan) e também de um grupo do exercito chamado Alien Task Force. (que meda!)
*na foto, há o bebê Eric Tanner, que veio algumas temporadas depois…

No Brasil, o seriado tornou-se programa dominical, durante o tempo que esteve na grade de programação na Rede Globo, durante o horário do almoço…alguém lembra?! A dublagem de Orlando Drummond (sim, o “Seu Peru”!) também virou marca registrada do personagem por aqui. Mais tarde, a Bandeirantes exibiu os episódios, mas não teve mais o mesmo sucesso como antes…uma pena.
Ah, o Alf também teve sua versão em desenho animado, contando como ele vivia em seu planeta natal… eu achei fofo! E tem o vídeo da abertura, para matar saudade!

E aqui também podemos conferir um trechinho do 1º episódio do seriado:

Primeiro Episódio Alf

Além do desenho, Alf ganhou sua versão em pelúcia, tatuagens, camisetas e miniaturas de pvc (que eu tenho uma, essa da foto abaixo! :D )

É uma série que deixa saudade para muitos, estranha para outros e, por que não, desconhecida ainda para alguns.
Por fim, uma supresinha aos leitores: o Alf tem site! http://www.alftv.com/index.php
Agora já deu vontade de comprar DVDs, Cartoons e afins! Hahahaha, meu bolso! :P

Espero que tenham gostado de um pouquinho desse saudosismo ;)

Abraços,
@my_pandoras_box

Harry Potter 7 Parte 2 – Emoção na pré-estréia by @BekahYurk

Olá pessoal !
Então, meu nome é Rebeka e tenho 20 anos. Conheci Harry Potter quando tinha uns nove anos, quando ganhei o primeiro livro da série. Ao terminar de ler, fiquei amando a série desde então. Ao longo da história, e à medida que saía os livros e os filmes, entrei cada vez mais fundo nesse mundo mágico. Quando soube que os livros iam virar filmes, fiquei muito feliz! Imagina os personagens que você imaginava na telona!! Foi uma alegria total. Ao ler o último livro, demorei cinco dias para ler… E fiquei em torno de 10 minutos olhando pro nada e pensando “minha infância acaba quando assistir isso nas telas…”. E foi exatamente o que aconteceu. Fiquei contando o tempo passar pra eu assistir o filme [comecei com uma semana até chegar aos quinze minutos finais].

Fui incumbida de escrever um post sobre o filme Harry Potter e As Relíquias da Morte – Parte 2. Como é a primeira vez que estou fazendo isso, vou contar mais ou menos como foi ir até a pré-estréia [sem querer me basear em textos que estão rolando na internet e são, em minha opinião, lindos].

Fui com umas amigas, encontrei outras lá, fiz novos amigos e ganhei uma varinha feita pelo meu padrasto [que fez um sucesso enorme, vocês não tem noção, até pediram meu número pra comprar uma]. Um monte de gente fantasiada das mais diversas roupas, gente desfilando de camiseta, cachecóis e diferentes apetrechos. Tinha até um lugar que estava vendendo Cerveja Amanteigada, que eu não pude deixar de experimentar [sorvete + cerveja ou guaraná, para os mais novos + chocolate]. Fora os eventos que ocorreram como Quiz, concurso de fantasias [tinha um Jedi lá, mas ele não ganhou... Não deixaram ganhar, mas fez muito sucesso], premiação e mais alguns outros que eu não lembro.

Aí entramos na sala do cinema [que era em 3D e Imax], pessoal conversando e fazendo novas amizades e tal.

Tá, um pouco do filme agora.

Acho que por ter começado uns cinco minutos atrasados, pularam os trailers, e nem sei se tinha também. E começou a vir o símbolo da Warner. Ficamos loucos na sala, é.

No filme, Harry, Rony e Hermione têm que ir atrás das Horcruxes restantes, feitas por Voldemort. Para quem não sabe, uma Horcrux é um objeto em que a pessoa pode guardar um pedaço de sua alma e, caso ela morra, pode “voltar a viver” [se é que posso usar esse termo]. Aquele-que-não-deve-ser-nomeado fez sete, e Dumbledore pediu para Harry destruir todas elas e matar Voldemort.

Essa segunda parte do filme se baseia quando Voldemort vai até Hogwarts para matar Harry, que foi a única pessoa que sobreviveu á maldição da morte, e impedí-lo de acabar com as outras partes de sua alma. Com a ajuda de professores e outros alunos, Harry entra no castelo para procurar a Horcrux escondida lá, e inicia-se a batalha. Ambos os lados tem muitas baixas, ou seja, muitas pessoas morrem [não vou dizer quem para não estragar a surpresa de quem não leu o livro]. Perdas que arrancaram choro geral na galera do filme [pessoas escandalosas também tiveram, mas a gente desconsidera]. Essas mortes deixaram o pessoal bem abalado, principalmente aos que leram o livro, pois, assim como eu, esperavam por isso, mas a dor de ver a pessoa morrer não é a mesma coisa do que imaginar.

Para quem leu o livro, vai sentir falta da história da menina do quadro, e da relação de Dumbledore e Grindelwald. Mas, para aqueles que não leram o livro por qualquer motivo que seja, irão entender o filme mesmo sem informações como essas. O pessoal da produção conseguiu fazer o enredo parecido com o livro, o que me deixa muito feliz. Só tenho elogios ao filme.

Quando saímos da sala de cinema, via muitos rostos ainda com lágrimas nos olhos, mas, apesar disso, felizes. Uma série que sempre vai estar no coração de seus fãs, por anos e anos. Com certeza, J. K. Rowling escreveu os livros que marcaram uma geração, e deixará saudades em todos. E já está fazendo falta. Com certeza, como estão dizendo por ai, não acabou, pois a mágica afetou nossos corações.

Mas essa série vai ser minha ponte com minha infância para sempre. Não vou deixar de amar cada personagem só porque acabou. Eles vão ser lembrados com carinho, pois marcaram minha vida, como a de tantos outros.

Quem assina este post é @BekahYurk, nova colaboradora do nosso Blog :D

Star Trek: Capitão Jean-Luc Picard by @FlavioGrazioli

O Espaço a Fronteira Final.. se vc é um fã de Star Trek, já completou o restante da abertura de uma das séries de mais longevidade da história do cinema e da TV.
Ao todo se passaram mais de 780 episódios, e 11 filmes, 5 séries, vários capitães. Archer, Kirk, Picard, Janneway, Sisko, todos eles com as suas características e personalidades.

Hoje vou falar um pouco sobre um certo Cavaleiro da corôa Inglesa, Sir Patrick Stewart, ou o nosso Capitão Picard. O Personagem é notadamente um diplomata nas questões do espaço, pensando e dialogando antes de atirar e destruir o seu inimigo, um explorador, um arqueólogo e principalmente um amante de Shakespeare e da boa música.

Picard, sempre defendeu as estruturas e as diretrizes da Federação dos Planetas Unidos, mesmo que as vezes essas diretrizes fossem contra os seus princípios.

Nasceu em La Barre, França e sempre quis entrar na Frota Estrelar e ser capitão. Pouco depois de se formar, foi esfaqueado por um nausicano, tendo que colocar um coração artifical no lugar.
Antes de pilotar a Entreprise, foi capitão da Uss Stargazer e com ela criou a manobra Picard. Depois da perda da Stargazer ele foi agraciado com a Uss Enterprise tendo várias e várias missões que o fizeram um dos melhores capitães de toda a frota. Por várias ocasiões, Picard teve duelos internos e emocionais, visto que ele deixou sua família e seu único irmão na Terra, para poder seguir explorando o Cosmo.

Já a bordo da Entreprise, ele sempre teve uma queda pela belíssima Dra. Beverly Crusher, no entanto nenhum romance se concretizou nenhuma vez durante os 7 anos de série.
Junto com os seus oficiais, Comandante Riker, Tenente Data, Tenente Worf, Comandante La Forge e a Conselheira Deanna Troi, ele pode resolver vários problemas e até firmar algumas alianças pelo espaço. Sempre muito sagaz e persuasivo, ele era para todos a bordo da nave uma espécie de “paizão”, rigoroso, e firme, como a patente dele requeria, mas maleável e adorável, como a personalidade dele é.

Um dos pontos altos da série e do personagem , foi quando Picard foi assimilado pela coletividade Borg, se tornando Locutus dos Borgs. Durante a assimilação, vemos uma lágrima cair dos olhos do capitão, demonstrando que, ele estava lutando mentalmente para não ser totalmente assimilado pela coletividade.
Todos os Episódios que tiveram os Borgs, ao meu modo de ver, foram os melhores, tanto pelo enredo como pelo desenrolar dos personagens.

O Cap. Picard, era o oposto do Cap. Kirk, porém tinha a mesma crença na humanidade.
Uma pena que a série, teve o seu final, e não houve mais nenhum episódio ou filme sobre eles. Mas o interessante é que sempre vamos nos lembrar da valentia, elegância, estratégia e principalmente da hombridade que o Cap Picard tinha!!!

Engage :D

Flavio Grazioli, Trekker, Nerd e Fanático por Ficção Cientifica e Velocidade

Twitter: @flaviograzioli , blog: www.classicosdavelocidade.blogspot.com

Star Wars: Padmé Amidala by @davidfellipeluz

Padmé Naberrie ou Amidala – quem é fã de cinema já ouviu esse nome. Personagem interpretada por Natalie Portman na 1ª trilogia de Star Wars (filmes I, II e III).

Ela foi escolhida na votação da enquete do twitter da @get_nuts como sendo a mais marcante personagem interpretada por Natalie.
Sua primeira aparição foi em uma pintura na comic “Star Wars The Last Command 5”, que foi lançada na mesma época em que ficou decidido que Natalie iria interpretá-la

Padmé Naberrie de Naboo, entrou jovem na politica e aos treze anos, já havia se tornado a princesa (algo como prefeito) de Theed, a capital do planeta Naboo, e antes de completar quatorze, ela já havia sido eleita rainha, tornando-a a 2º mais jovem rainha de Naboo, atrás apenas da rainha Apailana que foi coroada com apenas 12 anos.

Durante seu reinado ela adotou o nome Padmé Amidala, e passou a andar com cinco acompanhantes que serviam como empregada, dublês e guarda-costas. Entre elas está Sabé, interpretada pela ainda pouco famosa Keira Knightley, (Elizabeth Swann de Piratas do Caribe) que podemos ver no episódio I agindo como dublê para iludir a federação. Essas acompanhantes eram treinadas pelo capitão Panaka em um treinamento secreto junto com a rainha Padmé.

Uma de suas características mais memoráveis eram as suas roupas e penteados sempre extravagantes, muitas delas foram criadas pelo arqueologista Dr. David Reynolds.

Alguns detalhes de seus vestidos:

O vestido que ela usa na parada de comemoração da vitória de Naboo tem mais de 250 “pétalas” e o seu “leque” é uma menção à rainha Elizabeth I

O vestido que ela usa como senadora foi baseado em vestidos de casamentos mongóis:

Padmé ficou como rainha por 8 anos, quando resolveu abandonar o cargo, mesmo contra a vontade do povo, devido a lei de dois períodos máximo de reinado em Naboo. Ela então passou a dedicar-se ao senado, representando o seu planeta.

Foi durante o seu período como senadora que ela sofreu os atentados que a levaram a reencontrar com o padawan Anakin Skywalker e o cavaleiro jedi Obi-Wan Kenobi, que tinham como missão protegê-la. Anakin e Padmé então se tornaram muito próximos e acabaram se apaixonando. Após concluírem a missão, Padmé e Anakin se casaram secretamente.

Foi no mesmo período em que Anakin era tentado pelo Lord Negro dos Sith Darth Sidous, que ela engravidou dos gêmeos Luke e Leia. Ao receber a notícia de que seu marido havia passado para o lado negro, ela parte para o planeta Mustafar tentando encontrá-lo e convencê-lo a voltar para o lado da luz. A tentativa falha após Anakin descobrir a presença de Obi-Wan, que acaba seguindo Padmé para garantir sua segurança. Anakin a ataca deixando-a fraca e desesperançosa.

Após o ataque, Obi-Wan leva Padmé para uma unidade médica em Polis Massa, onde ela dá `a luz aos gêmeos..
Sem vontade de viver ela morre aos vinte e sete anos! Em suas últimas palavras ela diz `a Obi-Wan que o bem ainda existia dentro de seu marido, agora Darth Vader.
Essa bondade sempre esteve presente, pois a presença de Padmé sempre o assombrou.

Quem assina o post: @davidfellipeluz , colaborador do blog da @get_nuts.

Objetos de Desejo:

Estes e outros colecionáveis Star Wars vc encontra na loja da GetNUTS.

Para relembrar: O Exorcista (1973) by @kemeniel

O filme “O Exorcista” (The Exorcist), foi aos cinemas em 1973 e é baseado num livro de 1971 com o mesmo nome escrito por William Peter Blatty.
O filme traz a história da garota Regan (de 12 anos) que após usar um tabuleiro OUIJA começa a ter um comportamento estranho (como urinar na frente de visitas? Ah vá!). Após levar a menina para tratamento psiquiátrico, os médicos recomendam exorcismo. E quem vai fazer o trabalho sujo? Um padre chamado Damien Karras juntamente com outro padre, Lankester Merrin.

Hoje em dia, seus efeitos podem parecer ‘bobos’ ou até banais. Mas eles impressionaram na época e a história é marcante, pois é baseada num caso real (ver O Portal da Curiosidade) e eventos ‘paranormais’ sempre ‘assombram’ a mente e o inconsciente humano. O demônio existe desde os primórdios dos tempos aterrorizando o homem em seus pensamentos mais íntimos, não é não?

Sabe quando você e seus amigos adolescentes nos idos de 1984 não tinham o que fazer e então um algum adulto tem a ideia genial de por todo mundo pra ver um filme de terror naquela noite pra ver se fica todo mundo quieto e para de encher o saco? Pois é, foi assim que eu assisti “O Exorcista” pela primeira vez. E eu fui me arrepender daquela noite por muitos e muitos anos. Aquelas cenas me aterrorizaram de tal maneira que só fui rever o filme lá pelos meus quase 30. Me lembro também de pensar: “Quem seria o louco que pagaria pra ver aquelas cenas tão macabras e assustadoras num telão de cinema?”

A julgar pela arrecadação de 260 milhões de dólares do filme, muita gente teve. Foi o primeiro e ÚNICO filme de terror da história indicado ao Oscar de Melhor Filme e ganhou a estatueta para Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Som.

Hoje, aos 40 anos, ainda me recordo do pavor que tive nos meus 14 ao ver Regan girar sua cabeça 360 graus como uma coruja, gargalhando de maneira macabra como só ‘monstros’ de filme de terror podem fazer. Do medo que me acometeu ao vê-la se apunhalar seguidas vezes com um crucifixo numa autoflagelação que fez sangue espirrar pra todo lado, manchando a alva camisolinha branca da criança de 12 anos possuída enquanto aquela voz macabra e grossa proferia xingamentos demoníacos em latim e idiomas que nem imagino (até hoje) quais sejam para os padres. “Somos uma legião!” ela disse em uma das cenas com aquela voz gutural (credo!!!), mostrando que não havia apenas UM demônio na menina, mas vários.

Por fim, a maneira como o filme termina, deixando uma sensação horrível. A menina é salva mas… Pô, precisava acabar daquele jeito? Cadê ‘e todos viveram felizes para sempre’?
E durante muitos anos, quando minha irmã mais nova deitava de costas para mim na cama ao lado da minha, com seus cabelos compridos no mesmo tom dos cabelos de Regan, eu rezava apavorada pedindo que Deus a protegesse e ela não virasse a cabeça toda como no filme e falasse comigo com aquela voz horrível.

Se você não assistiu, ASSISTA. E se puder, assista a versão sem cortes também. Não posso garantir que você não vá se arrepender. Mas é um bom filme ainda hoje, 37 anos depois de seu lançamento.
Curiosidade: aqui no Brasil temos uma variável do tabuleiro OUIJA chamado de ‘brincadeira do copo’, usando um copo de vidro com água até a metade, colocado no centro de uma mesa, de preferência redonda, tendo as letras e números em volta e mais as palavras SIM e NÃO.

Foi minha estréia aqui no blog da GetNUTS e espero que tenham gostado :D
Um abraço, @kemeniel.

Idiomas do cinema: saiba um pouco sobre o Élfico by @davidfellipeluz

A enquete do @Get_Nuts desta última quinta-feira (30/06/2011) foi sobre idiomas fictícios do cinema. Depois de uma acirrada disputa entre o Klingon, criado por Marc Okrand para o filme “Star Trek: The Motion Picture”, e os idiomas élficos, criados por Tolkien para a saga de “O Senhor Dos Anéis”,  a vitória ficou com os idiomas élficos de Tolkien.

Na série O Senhor dos Anéis, temos 8 idiomas élficos e mais algumas variações e dialetos, praticamente todos esses idiomas foram desenvolvidos por Tolkien de alguma forma. Dentre esses idiomas o mais comum e famoso é o Sindarin que foi vistos nos filmes.

O sindarin é o idioma mais usado entre os elfos da 3ª era, foi desenvolvido pelos elfos que ficaram para trás na grande marcha durante a 1ª era. Com o retorno dos Noldor para a terra-média, os elfos decidiram pelo sindarin como a língua comum.

O sindarin é uma língua apenas falada, a escrita élfica é feita no alfabeto tengwar, o alfabeto de todos os idiomas élficos.

 

Tolkien criou o sindarin em 1944, ele já havia trabalhando em alguns outros idiomas. Ele se baseava em idiomas como o galês, línguas célticas, inglês antigo, e nórdico antigo.

Ele não criou esses idiomas para serem usados na vida real, mas fãs e estudiosos desenvolveram eles a ponto de serem usáveis.

Se você gostou do Sindarin e gostaria de aprender um pouco mais sobre ele, é possível encontrar muitos sites ensinando os vários idiomas da saga “O Senhor dos Anéis”.

Aqui temos alguns deles:
http://www.ardalambion.com.br/curso-de-sindarin/
http://www.jrrvf.com/hisweloke/sindar/online/sindarin.html (dicionário para inglês, francês e alemão)
 

EXTRA: site com aulas de klingon
http://livrosdamara.pbworks.com/f/29+-+MARC+OKRAND+-+Jornada+nas+Estrelas+-+Dicionário+Klingon_+IV.pdf
http://www.kli.org/kli/langs/KLIPort.html

Esperam que tenham gostado do meu post de estréia aqui no blog !
Um abraço, @davidfellipeluz :D

Na loja da GetNUTS você encontra bustos e bobble heads Colecionáveis Senhor dos Anéis

Apollo 18: assista ao segundo trailer do filme

Porque os EUA e a União Sovéitica nunca mais voltaram a pisar na lua ?
Porque a missão da Apollo 18 (12/1973) foi secreta e escondida pela NASA tanto tempo ?
Bem, este segundo trailer do filme já nos dá uma boa ideia de uma versão da história do que possa ter ocorrido..além de tensão, o trailer traz imagens que assustam.
A tripulação da Apollo 18 descobre um capacete russo danificado na superfície lunar e também algo muito mais terrível … :(

© 2017 GetNuts Figuras de Ação e Colecionáveis. All Rights Reserved. Login

- Designed by Gabfire Themes