/*Modifica icone na barra de enderecos */ /*Modifica icone na barra de enderecos */
Home »

E se os Super Heróis fossem patrocinados por grandes marcas?

E se os Super Heróis fossem patrocinados por grandes marcas?

Batcaverna de Lego

Carlyle Livingston II e Wayne Hussey recriaram com cerca de 20.000 peças de Lego e mais de 800 horas de trabalho esta incrível replica da Batcaverna.

Isso sim que paciência e criatividade.

8 detalhes que fizeram o Coringa de Heath Ledger ser tão incrível

Quem diz que faltou humor na trilogia do Cavaleiro das Trevas, não conseguiu captar as nuances de humor negro que o Coringa trouxe às telonas. O truque do lápis consegue arrancar boas risadas e ver o ator vestido de enfermeira não tem preço. Preparamos uma lista com 8 pequenas coisas que contribuíram para a grandiosidade do trabalho final de Ledger. Leia Mais!

Nós poderíamos ficar horas discutindo sobre o quanto a morte de Heath Ledger influenciou o pensamento das pessoas sobre o coringa. Será que o ator teria ganhado o Oscar póstumo de melhor ator coadjuvante? Será que O Cavaleiro das Trevas teria arrecadado mais de um bilhão em bilheteria? Independente das respostas a essas questões, é indiscutível que Ledger esteve brilhante no papel e mesmo alterando muitas das principais características do personagem das HQ’s, o resultado final encaixou perfeitamente no universo criado por Nolan.

8. Nunca olhar para suas vítimas
Algumas coisas sobre o Coringa são tão impactantes que você nem mesmo consegue compreender o porquê de serem tão perturbadoras. Seus momentos de calmaria aliados a breve explosões de loucura são executados de maneira tão sutil que você realmente acredita no personagem.
Reparem nas mortes durante o filme, o Coringa nunca olha para suas vítimas quando está prestes a tirar-lhes a vida, até mesmo quando a morte ocorre “indiretamente,” como na cena da explosão do hospital. Mas isso é uma característica do Coringa das HQ’s? Por que nunca vimos essa particularidade ser explorada antes?
Precisamos cavar um pouco mais fundo na essência do personagem. No arco “Batman: O Homem que Ri,” (Título retirado do filme que inspirou a criação do personagem) é revelado que o Coringa é tão cruel que não se importa em olhar para suas vítimas enquanto as mata. Um elemento chave do personagem escondido em suas origens.
Não sei de quem foi a ideia de incluir esse fato no filme, mas a execução é mérito de Ledger.

7. Ser diferente de Jack Nicholson
Jack Nicholson é considerado por muitos, como o maior intérprete do Coringa, no cinema. Mas a performance de Ledger conseguiu ser tão magistral quanto a do palhaço de Tim Burton.

É até estranho tentar comparar as duas interpretações, já que o contexto e o tom dos filmes são completamente diferentes, mas ainda há quem tente avaliar qual performance é melhor. As diferenças entre os vilões é notável, mas não é tudo uma feliz coincidência. Enquanto estudava para a criação do personagem, Ledger chegou a conversar com Nicholson e decidiu que faria TUDO diferente da encarnação anterior, até mesmo para evitar comparações.

6. Dirigir os vídeos de terrorismo do Coringa
A unidade de direção secundária serve para dirigir as sequências de ação e cenas de passagem que não envolvem o elenco principal, quando as estrelas estão em ação, entra o time da direção principal. Christopher Nolan é famoso por não trabalhar dessa maneira, já que gosta de supervisionar cada detalhe de sua produção, mas certa vez o diretor abriu mão do direito de comandar para uma pessoa… adivinha quem?

Heath Ledger nunca escondeu seu desejo de ser diretor, o ator até mesmo dirigiu alguns clipes musicais. Mas Nolan permitiu que Ledger tomasse o controle de algumas cenas, pois o ator estava obcecado com seu personagem.
Christopher Nolan deu algumas dicas e ajudou no enquadramento do primeiro vídeo terrorista do Coringa (aquele com o falso Batman), mas ficou tão impressionado com o desempenho de Ledger que deu carta branca ao ator para que dirigisse suas cenas do modo que achasse conveniente.

5. Há maquiagem em suas mãos para deixá-lo com um ar mais insano
Logo começarão as festas de Halloween e uma das roupas mais imitadas, seja em festas ou eventos como convenções de cosplay, é o traje do Coringa. É fácil aplicar uma maquiagem no rosto e colocar um casaco roxo, mas são os detalhes que contribuem para a perfeição da obra.
Dessa vez o mérito é de Nolan, o diretor preferiu deixar a maquiagem de Ledger um pouco menos “profissional,” e falhada, diferente da maquiagem de Cesar Romero, que mais parece um reboco. O detalhe da maquiagem nas mãos servem para ajudar a construir o perfil psicótico do personagem, dando a ideia de que ele mesmo passaria os produtos no rosto em movimentos bagunçados e perturbadores. Conseguem sentir a tensão de imaginar um louco se preparando para fazer sua entrada triunfal em mais uma carnificina?

4. As palmas improvisadas
Certamente você já deva conhecer esse fato, mesmo assim ele deve ser mencionado. As icônicas e sarcásticas palmas do Coringa para o anúncio da promoção de Jim Gordon não estavam no roteiro. Isso mais uma vez mostra o quanto Ledger entrou de cabeça no personagem. O ator percebeu que o momento seria adequado para introduzir um alívio cômico à cena e pegou a equipe de produção de surpresa.

3. A língua de fora era um tique de Heath Ledger
Ao analisar os perfis de Heath Ledger e seu personagem podemos perceber que os dois não tinham nada em comum. O ator mudava seu sotaque, comportamento e, obviamente, a aparência para encarnar o Coringa. As personalidades eram tão distintas que é até mesmo difícil perceber que são a mesma pessoa.
Há apenas uma coisa que realmente está presente nos dois, mas chega a ser tão sutil que talvez você nem tenha percebido antes. Ambos tem a tendência de deixar a língua de fora da boca enquanto estão falando. O hábito que Ledger carregava desde sua infância poderiam prejudicar sua atuação, mas contribuíram de modo a dar uma característica mais humana e realista ao Coringa.

2. A explosão foi planejada, a reação não!
Assim como o nome no crachá, os fãs foram rápidos ao assumir que a cena da explosão do hospital foi inesperada. Ledo engano, caro amigos especuladores. O atraso entre as explosões estava no roteiro, a reação de Ledger foi a cereja no bolo. O ator deveria continuar caminhando e entrar no ônibus, quando o veículo estivesse em movimento a explosão continuaria e destruiria a construção por completo. Mais uma vez podemos perceber como Ledger entendia o personagem e suas reações durante a cena acabaram deixando o resultado final hilário.

1. Ele pediu a Christian Bale para espancá-lo de verdade
A cena do interrogatório realmente marcou o ponto de distinção entre O Cavaleiro das Trevas e outros filmes menos ousados. É uma sequência perturbadora que mostra até onde o Coringa é capaz de ir e, aparentemente, Heath Ledger também.
Antes das gravações, Ledger pediu a Christan Bale que o batesse tão forte como o verdadeiro Batman faria. Um pedido surpreendente para retrucar de vez as críticas de fãs que diziam que os golpes do Cavaleiro das Trevas eram falsos e coreografados.
Este é um dos mais puros exemplos do quando Ledger se dedicou à autenticidade do personagem, mostrando devoção e métodos que a maioria dos atores hesitariam alcançar.

Fonte: WhatCulture

As semelhanças cinematográficas entre Marvel e a DC

Veja no post que não são poucas as semelhanças entre as duas maiores casas de HQ’s do mundo na questão de filmes.


O Preço para ser um Super Heroi

Nem os super-heróis se livram da alta do custo de vida e de todos os luxos da vida moderna…
Armas mais modernas, novos acessórios e uniformes… Qual será o super-herói que mais gasta ?
Com certeza é o Iron Man, já que não existe alguém mais extravagante e esbanjador que o Tony Stark, porém este ficou de fora desta análise !
Abaixo foram analisados os super-heróis : Batman, Hulk, SpiderMan, SuperMan e Wolverine.

Duas-Caras (Two-Face) você conhece ? by @EmanuelCR

– Ele não pode responder sua pergunta.
– Por que?
– Está sem a moeda dele.

Harvey Dent, o Duas-Caras. Junto com o Coringa, é um dos vilões mais perturbadores e fragmentados do Batman. Principalmente, se considerarmos que ele era “um homem bom”.

Meu primeiro contato com o personagem, nas HQs, foi na história presente na edição acima. Publicada na saudosa Batman Anual no. 2, pela Editora Abril, mostrava uma origem narrada levando em consideração o Ano Um, de Frank Miller. Antes disso, claro, já tinha o visto em Batman: A Série Animada – de onde se origina o diálogo, lá no início, aliás –, mas nada como o demonstrado aqui…

Na mesma época em que Bruce Wayne iniciou sua lenda, Dent já era um promissor promotor de Justiça em Gotham. Conhecido e respeitado, sua fama de incorruptível era um problema para os chefões mafiosos e um traço de valor para Batman e Jim Gordon – na época, apenas um capitão da polícia e ex-militar. Só que ser aliado do Cavaleiro das Trevas não garante, sempre, proteção…

Dent, sob muitos aspectos, é o verdadeiro caso de “a sociedade o corrompeu”, segundo essa narrativa. Esforçando-se para ser um homem, profissional e marido decente, é defrontado com seu passado sombrio e com um presente, uma realidade profundamente perturbadora. Tudo isso, reunido, abre a porta para a “outra face”. Afinal, entre todas as pressões da vida, ser ameaçado por mafiosos e seus assassinos, assim como lidar com um dissimulado assassino em série, não deve ser “saudável”…

Assim, começou a espiral decadente de Dent. A sombra que o perseguia foi se tornando cada vez maior e, no auge de sua loucura, cometeu atos que só um homem como aqueles que ele odiava cometeriam… Contudo, parecia que, para o promotor, seria a “primeira e última vez” – na verdade, para muitos, só pareceria que ele “tomou justiça pelas próprias mãos”, ao exemplo de Batman, e eliminou o pior tipo de escória –, mas o ataque do chefe mafioso Maronni, durante o julgamento do mesmo, desfigurou o rosto e a alma de um sujeito que só queria ser melhor que seu pai e tipos similares… Desfigurou, ainda, a moeda que se tornaria sua “marca registrada”, com o tempo.

Aqui, vale acrescentar uma curiosidade: de acordo com essa história, a moeda de “duas caras” – isto é, os dois lados mostram a mesma imagem, o perfil de Benjamin Franklin – foi o único presente que o violento pai de Dent já lhe dera. Ainda antes, na infância, a mesma moeda era utilizada para os “jogos” entre os dois; segundo Harvey, se ganhasse, ele não seria espancado ou pior. Entretanto, o pai sempre escolhia “cara”…

Não há como negar, assim, que essa vida “multifacetada” de Harvey culminou na criação desse “monstro interior” que, por fim, se tornou “externo” e muito na cara (Olha o tracadalho do carilho, haha…Hah… Ai.).

Por essas e outras, Duas-Caras é o tipo de vilão que a maioria das pessoas se identifica. Se não fosse o fato de, muitas vezes, ferir ou matar inocentes, seria algo como o Justiceiro da Marvel Comics. Além disso, a existência de alguém como ele é crível, em nosso mundo – como na comparação entre Batman e Superman –, diferente de um Morcego Humano ou do Cara-de-Barro, por exemplo. Tão crível que, muitas vezes, leio ou escuto sobre a “paixão” de algumas pessoas pela representação que ele recebeu, no filme. Sem tantos “tons de cinza” como Frank Castle, mas entrou numas de vigilantismo e vingança que, certamente, se eu e você fossemos tão profundamente “zoados pela vida” – vítimas de uma conspiração de criminosos e de policiais corruptos, espectadores do assassinato de uma pessoa amanda e, de quebra, ficar com metade da cara parecendo bife esturricado –, acabaríamos enlouquecendo e, muito provavelmente, querendo pagar os responsáveis na mesma moeda (Outro tracadalho, heh…)!

Enfim, vilão ou não – depende do observador e da cronologia… – o promotor público de Gotham City é, na totalidade, aquilo que escondemos e contemos. E, também, muitas vezes, aquilo que gostaríamos de poder ser.

(E que nunca mais se fale em Batman Eternamente…)

@EmanuelCR não tem desvios de personalidade – ele é 100% desfigurado, por dentro – e, provavelmente, é a única pessoa que acharia ter cicatrizes faciais sinistras algo legal.

Batman – The Dark Night Busto Hot Toys

Belíssimo busto em pvc do personagem Batman: O Cavaleiro das Trevas suportado por uma base com o logo do super-herói. Tamanho: 24 cm.
Você encontra esta peça em nossa loja.

Geek Art: Os Super-Heróis HQ de Greg Horn

Greg Horn é um super artista Geek, que já fez um montão de capas para Marvel e DC comics, séries de TV, cinema e games.
Confira aqui algumas imagens super legais da galeria de super-heróis deste artista.
Você pode conferir mais fotos e outras galerias acessando o site do artista.

Spiderman

The Avengers

Batman

Superman

Wonder Woman

Novo filme de Batman em 2012: The Dark Night Rises

Christopher Nolan (diretor, produtor e roteirista) anunciou em entrevista para o Los Angeles Times que “Dark Night Rises” começa a ser gravado em 2011 e será lançado em Julho de 2012.
Indo na contra-mão das mega-produções de hollywood de aventura, ação e super-heróis, o filme não será gravado em 3D.
Segundo Nolan, o filme irá explorar toda a tecnologia do IMAX já utilizada em “The Dark Night ” e a opção por não filmar em 3D é terminar a história que se iniciou, mantendo a mesma experiência de visual e sentimentos para os expectadores.

A proposta é fazer algo tecnologicamente jamais feito ! Nolan disse. “Nossa ambição é fazer um grande filme.”

Bem nos resta aguardar esta mega-produção de Batman, e quem tiver a oportunidade de assisitir em uma sala IMAX não deixe de fazê-lo, pois irá fazer toda a diferença….

Diretor: Christopher Nolan
Autores principais: David S. Goyer , Bob Kane
Elenco confirmado: Christian Bale, Gary Oldman , Michael Caine , Morgan Freeman
Data de estréia: 20 julho de 2012 (EUA)

© 2017 GetNuts Figuras de Ação e Colecionáveis. All Rights Reserved. Login

- Designed by Gabfire Themes